PF anuncia que vai apurar “escuta”

iG Minas Gerais |

SÃO PAULO. A Polícia Federal (PF) no Paraná anunciou ontem que vai investigar a suspeita de que o doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato em 17 de março, foi alvo de uma escuta em sua cela. O advogado de Youssef, Antônio Augusto Figueiredo Basto, enviou anteontem à Justiça um pedido para apurar se seu cliente foi alvo de escuta ilegal na carceragem da superintendência da PF em Curitiba.  

Figueiredo Basto disse que foi o próprio Youssef quem encontrou um aparelho na cela, dias após ser preso. O equipamento usava chip de celular para escutar as conversas na cela em tempo real, segundo uma perícia realizada por escritório contratado pelo advogado que foi anexada ao pedido de investigação.

Em nota, a PF informou que encontrou o equipamento em vistoria há uma semana. Ainda segundo a nota, o dispositivo passará por perícia. Na versão da Polícia Federal, o advogado de Youssef apresentou o pedido de investigação só depois de a corporação ter realizado a revista e encontrado o equipamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave