Policial inconformado com fim do namoro ameaça por fogo em casa da ex

Homem ameaçava colocar fogo na casa e portava uma arma e uma faca; Gate já teria controlado a situação

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

A família de uma jovem de 25 anos passou um susto, no início da tarde desta sexta-feira (11), após o ex-namorado da jovem, que seria policial militar, ter invadido a residência e, bastante alterado, afirmado que colocaria fogo no local, no bairro Petrovale, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. O suposto militar, identificado apenas como Jonas, estaria inconformado com o fim do relacionamento de cerca de três anos. 

O TEMPO conseguiu conversar com um dos familiares que presenciaram toda a ameaça. "Agora ele já está mais calmo. Já entregou a arma e a faca, daqui a poco deve aceitar sair", disse o parente. Ainda segundo eles, a jovem, que trabalha em um escritório de contabilidade, havia saído de casa após uma discussão ocorrida na noite anterior. "Ele tentou matar ela, quebrou tudo da casa, indignado com o fim do relacionamento", afirma.

A casa da ex-namorada do policial fica nos fundos da residência de outros parentes. No início da tarde desta sexta, eles passaram a ouvir os gritos do policial que, fora de si, afirmava que iria colocar fogo na casa da ex. Assustados, os parentes acionaram a polícia e, rapidamente, agentes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) chegaram para tentar acalmar a situação. 

A assessoria da Polícia Militar (PM) confirmou que a suspeita inicial é de que o autor da ameaça seria um policial, apesar da informação ainda não ter sido confirmada para a corporação. Ainda segundo o órgão, a situação foi controlada e o suspeito já entregou as armas. 

O relacionamento

O policial teria conhecido a moça do bairro há cerca de 3 anos e, desde então, rapidamente já estavam em um namoro. O casal chegou a morar juntos na casa que o suspeito ameaçou incendiar nesta sexta. "Por isso ele tem chave, conseguiu entrar e fazer isso tudo. Ainda bem que ela não estava aí, ou teria sido uma tragédia", disse a testemunha. 

Para os conhecidos do casal, o suspeito vai acabar matando a jovem e se matando. "Ela não quer mais o namoro, mas ele não aceita. Ele é agressivo e não dá mais. Infelizmente agora a gente vai ter que arrumar um lugar para ela, pois se continuar aqui, ele mata ela", lamentou. O casal não tem filhos juntos, porém, a mulher é mãe de uma criança que é criada pela avó.

Os parentes ainda chegaram a informar que o policial é uma pessoa boa, mas que está transtornado. "Ele precisa é de tratamento psiquiátrico", finaliza. O militar, que teria cerca de 25 anos, estaria lotado no Batalhão de Choque, na avenida Amazonas, no Gameleira.