Atlético encara Chelsea para manter vivo sonho de título inédito

Colchoneros estão de volta às semifinais depois de 40 anos, mas querem realizar o sonho de sua fanática torcida

iG Minas Gerais | GABRIEL PAZINI* |

Diego Costa é o
Reprodução/Facebook
Diego Costa é o "cara" do Atlético de Madrid, que sonha com título inédito da Champions

Depois de quatro clássicos que terminaram empatados na temporada, finalmente o confronto entre Atlético de Madrid e Barcelona teve um vencedor. E com a vitória por 1 a 0, o Atléti se afirmou e quebrou algumas escritas: o clube é o líder do Campeonato Espanhol, está de volta às semifinais da Champions League depois de 40 anos, eliminou a equipe que esteve presente nas últimas seis semifinais da Liga dos Campeões e mostrou que pode bater de frente com qualquer clube do mundo.

E o Chelsea tem sim que temer, e temer muito o Atlético de Madrid. A equipe madrilenha massacrou o Barcelonanos primeiros 20 minutos de jogo [um gol e três bolas na trave] e foi muito superior ao longo de toda a partida, tanto individualmente, quanto coletivamente, e ainda tinha um detalhe: o Atléti jogou sem Diego Costa e Arda Turan, dois jogadores vitais no time comandado por Diego Simeone que - é chover no molhado - faz um trabalho espetacular.

Contra os Blues de Londres, o hispano-brasileiro e o camisa 10 turco estarão de volta, ou seja, o Chelsea vai encarar um Atlético de Madrid ainda mais forte do que aquele que eliminou o Barça. É bem verdade que a equipe inglesa é mais experiente e acostumada com as semifinais da Champions League, mas isso não fez diferença alguma a favor do Barcelona.

Também é verdade que os londrinos tem um elenco superior ao dos madrilenhos, mas time por time, os onze que começam jogando se equivalem. Os Colchoneros podem bater de frente com qualquer time, e com os Blues não é diferente.

Setores

Os dois times tem bons sistemas defensivos, mas o do Chelsea tem falhado algumas vezes, como foi contra o PSG, no jogo de ida das quartas de final. Já o sistema defensivo de Simeone raramente comete falhas, ainda mais em jogos decisivos. O Chelsea tem um trio de meias ofensivos mais criativo com Hazard, Oscar e Willian - ainda existe a opção de Schürrle -, mas o Atlético também tem jogadores técnicos e criativos como Arda Turan, Raul García e, principalmente, Koke. E ataque por ataque, Diego Costa é um dos melhores da temporada europeia, enquanto o Chelsea tem Eto'o marcando seus gols, mas nada sem produzir nada espetacular.

O confronto é equilibrado, mas pela fase, estar liderando o Campeonato Espanhol e sonhando com o primeiro título da Champions League, time jogando muita bola em todos os setores, tanto coletivamente quanto individualmente, e o trabalho sensacional Simeone, acredito mais no Atlético de Madrid.

Polêmica

Existia a dúvida quanto a presença ou não do goleiro Courtois, um dos destaques do time espanhol, mas que pertence ao Chelsea e está emprestado aos madrilenhos pelos ingleses. A Uefa, no entanto, afirmou o veto que impede a escalação do belga contra o Chelsea não vale para competições europeias. Os Blues aceitaram, mas não disseram nada sobre a multa milionária que o Atléti, pelo contrato, deve pagar para escalar o arqueiro.

O time espanhol deve e precisa escalar Courtois, que é um dos melhores goleiros do mundo e faz toda a diferença, no entanto, vale lembrar que o Atlético tem o interesse de contratar o arqueiro em definitivo, ou seja, os madrilenhos, escalando o belga, podem acabar dificultando uma futura negociação.

Histórico

O jogo também marca o reencontro entre os times, que decidiram a Supercopa da Uefa 2012/13. Naquele jogo: 4 a 1 para o Atlético de Madrid. A partida também marca a quinta semifinal de Champions League seguida do excelente técnico José Mourinho. E ainda vale destacar um ponto: os Colchoneros são o único time invicto nesta Liga dos Campeões.

*com supervisão de Leandro Cabido