Telefonia está no topo de ranking de reclamações

Procon Assembleia divulga lista dos piores setores em MG

iG Minas Gerais |

Um ranking nada promissor, e pelo terceiro ano consecutivo. As empresas de telefonia, tanto móvel quanto fixa, permanecem campeãs no ranking de reclamações de consumidores recebidas pelo Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O setor lidera o ranking de reclamações do órgão há três anos. Só em 2013, foram 6.399 notificações.

Em segundo lugar, está o cartão de crédito, com 4.741 notificações, entre reclamações de fornecedores, acordos de parcelamento e o pagamento de dívidas. Em terceiro lugar, aparecem as reclamações relacionadas a eletrodomésticos e eletroeletrônicos, com 3.381 reclamações. Má qualidade, não recebimentos ou demora na entrega do produto são os problemas apontados com maior frequência. No quarto lugar, estão os chamado “combos” (telefonia, internet e TV por assinatura), que englobam as reclamações desses setores em que não é possível isolar a causa. Só o setor de telecomunicações representa mais de 50% das queixas dos dez segmentos com mais reclamações no Procon Assembleia. Empréstimo consignado, móveis, armários e cozinhas planejadas, estabelecimentos de ensino e financiamento de veículos complementam a relação, ocupando, respectivamente, o sétimo, o oitavo, o nono e o décimo lugares. No total, foram recebidas 23.905 reclamações em 2013. A listagem e um balanço completo dos atendimentos realizados no ano passado foram apresentados aos deputados da Comissão de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Assembleia Legislativa durante uma audiência pública. Acordos. De acordo com o coordenador do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, foram contabilizados mais de 84 mil atendimentos no ano passado. Segundo ele, 75% das demandas apresentadas ao órgão chegaram a uma solução satisfatória, por meio de acordos realizados entre as partes interessadas.  

Atendimento online se expande O Procon Online, que foi criado em 2012 com o intuito de estruturar convênios com Câmaras Municipais onde não existe o serviço de atendimento ao consumidor local, analisou mais de mil queixas em 2013, frente aos 429 atendimentos realizados até então. Pelo atendimento online, o consumidor dirige-se à Câmara Municipal e apresenta o caso. As informações são enviadas ao Procon Assembleia, que intercede pelo consumidor.

Escolas Serviço. Existe também o Procon na Escola – um trabalho de conscientização e esclarecimento promovido nas instituições de ensino. Cerca de 300 escolas participaram do projeto no ano passado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave