Governo poderá suspender leilão para manter sem-teto

Notícia foi dada pelo ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, durante reunião desta quinta-feira (10)

iG Minas Gerais | Jhonny Cazetta |

Previsto para a próxima segunda-feira (14), o leilão de um conjunto de terras pertencentes às Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas) deve ser suspenso ou modificado. A notícia foi dada pelo ministro chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, durante reunião quinta-feira (10), com movimentos sociais, em Belo Horizonte.

Um dos terrenos abrange a ocupação William Rosa, onde vivem 4.000 pessoas, que teriam que deixar o local caso a privatização ocorresse. “A presidenta Dilma Rousseff me procurou e disse para que eu fosse até os ministérios da Agricultura e do Planejamento, pois não faz sentido leiloar uma área que está ocupada por moradores. É importante que esse terreno tenha uma destinação social. Amanhã (hoje) teremos reuniões sobre o assunto, pois é uma ordem da presidenta” afirmou o ministro.

A decisão de Dilma veio após um encontro que ela teve com moradores da ocupação, durante visita a Minas na última segunda-feira. Na ocasião, ela prometeu analisar “com carinho” as reivindicações e dar uma resposta rápida. “A determinação da presidenta foi a de preservar as pessoas que estão naquela área. Agora, se isso irá suspender o leilão de toda área, esse assunto será discutido nessas reuniões de amanhã”, informou Gilberto Carvalho.

A notícia agradou aos moradores da Willian Rosa, que nos últimos meses realizaram diversos protestos contra a desocupação. “A esperança é boa, e ficamos animados com a decisão. Agora, esperamos a oficialização desta suspensão e também implantação de programas, como Minha Casa Minha Vida, no lugar”, disse frei Gilvander Luís Moreira, um dos principais interlocutores dos sem-teto da capital.

Reunião

O Ministro Gilberto Carvalho também participou de um encontro ontem no bairro da Boa Viagem, na região Centro-Sul, com outros movimentos sociais para discutir a realização da Copa do Mundo de 2014 na capital.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave