Prefeito, vice e 7 vereadores cassados sob suspeita de compra de votos

A sentença será publicada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), sendo que os suspeitos recorrerão e aguardarão nos cargos o restante do julgamento

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

A Justiça eleitoral cassou o mandato do prefeito de Campo Belo, no Centro-Oeste do Estado, Marco Túlio Lopes Miguel (PSDB), e de seu vice, Richard Resende (PSDB), por suspeita de abuso de poder político. Além dos tucanos, 17 pessoas foram condenadas. Na lista estão sete dos 15 vereadores da cidade, que também tiveram o mandato cassado. A decisão é de primeira instância e cabe recurso.

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-MG) irá publicar a sentença que teve efeito suspensivo hoje. Dessa forma, todos os condenados irão aguardar no cargo o resultado do processo final e julgamento de possíveis recursos. De acordo com a Justiça, há provas de que houve compra de votos.

Os vereadores condenados são Christian Alves (PSDB), Silvano Camilo (PSB), Walter Moreira (DEM), Valdelino Ananias (PSB), Salime Lasmar (PSDB), Paulo Cabeleireiro (DEM), Hélio Donizete (PSB), sendo que o último é presidente da Câmara de Campo Belo.

Os crimes teriam sido cometidos em 2012, quando o atual prefeito era servidor da prefeitura. O grupo, segundo denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), prometeu consultas médicas, cirurgias e exames complexos em troca de votos.

Ontem, o presidente da Câmara, Hélio Donizete, disse estar tranquilo e que acredita que a decisão será revertida. “Não estou esquentando a cabeça porque quem não deve não teme. Só estamos aguardando a publicação da decisão para recorrer”, afirmou. Se a decisão for mantida, os suplentes dos sete vereadores irão assumir os cargos.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que o prefeito Marco Túlio Lopes Miguel estava viajando para São Paulo, que só retorna na segunda-feira, e não comentaria a decisão. 

Leia tudo sobre: prefeitovicevereadorescampo belocondenadoscompra de votos