Rússia mantém tropas na fronteira com a Ucrânia, diz Otan

Oficiais exibiram imagens de satélite que mostram os veículos militares e outros equipamentos em bases improvisadas aparentes e sem camuflagem

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ocupação. Nesta sexta, soldados russos e soldados não identificados chegaram a Crimeia e começaram a patrulhar áreas da região ucraniana
Ivan Sekretarev
Ocupação. Nesta sexta, soldados russos e soldados não identificados chegaram a Crimeia e começaram a patrulhar áreas da região ucraniana

Altos funcionários do gabinete militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) descreveram mais de cem bases militares russas instaladas próximas à fronteira com a Ucrânia em estado de elevada prontidão e com capacidade de se mover rapidamente em poucas horas.

Em uma entrevista a jornalistas no quartel-general militar da aliança em Mons, no sul da Bélgica, as autoridades disseram que visavam combater "equívocos" promovidos pela Rússia e mostraram imagens de satélite de movimentação de tropas na fronteira.

Oficiais exibiram imagens de satélite que mostram os veículos militares e outros equipamentos em bases improvisadas aparentes e sem camuflagem. Um oficial militar disse cerca de 35 a 40 mil soldados estavam nas mais de cem áreas na zona de fronteira, incluindo veículos militares estacionados em formação e duas bases aéreas "em um estado de elevada prontidão".

"Nos avaliamos que essa é uma força muito capaz e de alta prontidão, que está perto de rotas e linhas de comunicação e tem plenos recursos para invadir a Ucrânia se assim for ordenado. Elas estão paradas, mas podem se mover muito rapidamente, em até 12 horas", disse o brigadeiro Gary Deakin, um oficial do exército britânico que dirige o centro de operações de crise da OTAN.

Oficiais disseram que o fortalecimento militar teve início em março, após a incorporação da Crimeia pela Rússia, mas afirmaram que não havia nenhuma evidência que ocorram exercícios militares - uma explicação usada por Moscou para a movimentação de tropas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave