Dia de greve geral na Argentina registra feridos em confronto

O sistema de transporte público está quase completamente paralisado; o serviço de telecomunicações em alguns bairros de Buenos Aires também foram interrompidos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A jornada de greve geral na Argentina começou nesta quinta-feira com confrontos entre grupos de esquerda e a "gendarmeria", corpo especial de segurança especializado em dissolver manifestações.

Os manifestantes realizaram piquete na estrada Panamericana, na zona norte da grande Buenos Aires, mas foram removidos a força pelos policiais com cacetetes e balas de borracha.

O sistema de transporte público está quase completamente paralisado. Ônibus e trens não operam nesta quinta-feira e as linhas de metrô funcionam parcialmente.

Segundo os líderes das centrais sindicais, há alta adesão à greve geral. O chefe de gabinete de ministro, Jorge Capitanich, afirmou nesta manhã que muitos trabalhadores querem chegar ao trabalho mas não podem por causa da paralisação dos transportes.

O serviço de telecomunicações em alguns bairros de Buenos Aires também foram interrompidos nesta manhã.

Esta é a primeira vez que uma greve geral tem a coordenação conjunta da Confederação Geral do Trabalho (Rebelde) a Confederação do Trabalho Azul (Azul e Celeste) e a Central dos Trabalhadores Argentinos (Rebelde).

As centrais sindicais protestam, contra a política econômica da presidente Cristina Kirchner, a qual acusam de ter traído dos trabalhadores.

Leia tudo sobre: políticagrevemanifestaçãoArgentina