Sobre o início do desejo e sua assexualidade

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Chegada de novo aluno transforma a vida de adolescente cego
vitrine filmes
Chegada de novo aluno transforma a vida de adolescente cego

O filme “República dos Assassinos”, de Miguel Faria, foi um dos primeiros filmes brasileiros a mostrar um beijo gay, ainda em 1979. De lá para cá, várias produções retrataram relações similares. Alguns uniram o tema a outros tão ou mais delicados, como “Do Começo ao Fim”, de José Aluízio Abrantes, que mostra o relacionamento amoroso de dois meio-irmãos.

Assim como o filme de Abrantes, que pretendia ir além de exibir ou tratar de questões relacionadas à homossexualidade, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, que estreia hoje nas salas de Belo Horizonte, conta com uma premissa conceitual própria. “Meu objetivo principal foi o de questionar o surgimento da sexualidade no ser humano”, comenta o diretor do longa, Daniel Ribeiro.

Ele escolheu mostrar isso sob a perspectiva de dois adolescentes do sexo masculino. “O filme também trata de assuntos universais, como o primeiro beijo e as descobertas da adolescência, independente da orientação sexual”, afirma o diretor.

Essa ideia surgiu de uma pesquisa que Ribeiro fez. Ele pediu para que algumas pessoas lhe descrevessem a lembrança que tinham sobre a primeira vez que sentiram desejo pelo outro. “Todos responderam baseados em algo que viram, em uma imagem. Daí comecei a refletir sobre o nascimento do desejo em alguém que nunca tivesse visto nem um homem nem uma mulher. Como o desejo dessa pessoa nasce?”, indaga o diretor.

Dessa dúvida nasceu o personagem Leonardo (Guilherme Lobo), um adolescente cego que, ao lado de sua amiga de infância, Giovana (Tess Amorim), inicia mais um ano escolar. Desta vez, porém, a presença do novato Gabriel (Fabio Audi) põe os três em situações novas.

Ribeiro já havia explorada esse enredo no curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”. “Fiz esse piloto como forma de chamar a atenção de possíveis patrocinadores”, explica o diretor. Antes de arrecadar o dinheiro, porém, o vídeo se tornou uma sensação no Youtube, com mais de três milhões de visualizações.

A repercussão criou grande expectativa em torno do novo projeto que cresceu ainda mais quando “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” ganhou o prêmio da crítica internacional e do Teddy Award na mostra Panorama do último Festival de Berlim. Agora, chega aos cinemas brasileiros, narrando com delicadeza “uma história para pessoas de todas as idades”, diz Ribeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave