Sapateando em português

Produção grandiosa e inédita no país, “Crazy for You” chega à cidade para curta temporada no Sesc Palladium

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Protagonistas.Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello vivem casal Polly Baker e Bobby Child no musical
paschoal rodriguez/divulgação
Protagonistas.Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello vivem casal Polly Baker e Bobby Child no musical

O ano era 1992 e sentada na plateia de um teatro em Nova York, Cláudia Raia teve uma certeza. “Ainda vou montar esse espetáculo!”. Vinte e dois anos depois, a atriz pôde realizar seu sonho e traz a Belo Horizonte aquele que lhe encheu os olhos, o musical “Crazy For You”. O espetáculo entraz em cartaz a partir desta quinta no Sesc Palladium.

“Depois que a sessão acabou, permaneci lá sentada, encantada, imaginando o sucesso que um musical daquela qualidade faria no meu país”, destaca a artista. Mas por que a demora em montar a peça? “Esperei tantos anos para termos competência. O sapateado é uma habilidade muito específica. Por mais que eu tivesse a sorte de estudar antes que os outros dançarinos, não estava pronta. Minha situação era absolutamente especial, não era comum que as pessoas tivessem acesso ao sapateado. Por conta disso, não era possível encontrar um elenco que sapateasse e cantasse ao mesmo tempo”, explica ela.

Com direção de José Possi Neto, “Crazy for You”, primeiro musical sapateado da Broadway produzido no Brasil, conta a história de amor entre Bobby Child e Polly Baker. Child é um bon vivant, apreciador dos prazeres da vida e Polly é uma garota criada por homens que descobre seu feminilidade por meio do amor. O protagonista é vivido por Jarbas Homem de Mello. “Naquela época pensei que não tínhamos um ator e sapateador aqui que conseguisse dar vida ao Bobby Child. A ideia ficou na minha cabeça por muitos anos até que conheci o trabalho do Jarbas. Quando soube o quanto ele sapateava, imediatamente pensei: encontrei o Bobby!”, brinca a atriz.

Para dar vida a “Crazy for you”, o elenco passou três meses inteiramente dedicado à preparação para o espetáculo. Os protagonistas viveram uma rotina que compreendia dez horas diárias de trabalho, de segunda a sábado. Além dos ensaios, eles fizeram aulas de canto, balé, sapateado, pilates e musculação para estarem preparados física e vocalmente. “Foi um exercício exaustivo. A preparação tomou muito mais tempo que o normal. Quase três meses”, lembra a atriz.

Ajuste. A versão brasileira do espetáculo, com tradução de Miguel Falabella, preservou o texto na íntegra. “O humor norte-americano é um pouco repetitivo, então cortamos algumas pequenas coisas, mas o texto está todo lá”, garante.

Outro ponto de destaque é a música do espetáculo, toda composta por George Gershwin. “Geralmente, em um musical, existem aquelas músicas que todo mundo sabe cantar e ficam famosas, mas existem outras que o pessoal esquece. Nesse caso, não. Todas as músicas ficaram famosas”, assegura Cláudia.

Broadway, aqui! Ela vê com muitos bons olhos o boom de musicais no país. “Hoje em dia, ninguém precisa ir mais à Broadway. A gente não gasta o dinheiro da passagem e ainda assiste em português”, ressalta. Precursora na categoria “musicais sapateados”, a atriz crê que é uma questão de tempo para que o gênero se difunda pelo país. “Há espaço para tudo: o formato norte-americano tradicional, a adaptação feita do nosso jeito e os musicais brasileiros, que estão fazendo, basicamente a trajetória de nossos cantores e cantoras”.

Por outro lado, ela lamenta a dificuldade de produzir projetos grandiosos como “Crazy for You”. “É preciso muita coragem. É o musical mais caro e maior que já fiz. Não sei se sou megalomaníaca, mas acredito que deve haver espaço para esse tipo de trabalho”, ressalta.

Agenda

O quê. “Crazy for You”

Quando. Nesta quinta e sexta, às 21h. Sábado, às 17h e 21h30. Domingo, às 17h

Onde. Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1.046, centro)

Quanto. Entre R$ 25 e R$ 220

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave