Telefonema de ameaça pode estar ligado ao ataque na Pensilvânia

Vinte pessoas ficaram feridas, incluindo um policial que eventualmente conseguiu controlar o agressor com a ajuda do vice-diretor da escola

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Students walk past a row of buses as they leave the campus of the Franklin Regional School District after more then a dozen students were stabbed by a knife wielding suspect at nearby Franklin Regional High School on Wednesday, April 9, 2014, in Murrysville, Pa., near Pittsburgh. The suspect, a male student, was taken into custody and is being questioned. (AP Photo/Gene J. Puskar)
Associated Press
Students walk past a row of buses as they leave the campus of the Franklin Regional School District after more then a dozen students were stabbed by a knife wielding suspect at nearby Franklin Regional High School on Wednesday, April 9, 2014, in Murrysville, Pa., near Pittsburgh. The suspect, a male student, was taken into custody and is being questioned. (AP Photo/Gene J. Puskar)

Um adolescente de 16 anos, armado com duas facas, atacou nesta quarta-feira (9) a escola de segundo grau Franklin Regional High School, em Murrysville, perto de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Vinte pessoas ficaram feridas, incluindo um policial que eventualmente conseguiu controlar o agressor com a ajuda do vice-diretor da escola.

Investigadores não apontaram uma motivação para o crime, mas chefe de polícia de Murrysville, Thomas Seefeld, salientou que estavam sendo avaliados relatos sobre um telefonema de ameaça entre o agressor e outro estudante na noite anterior. Ele não especificou se o suspeito teria recebido ou feito a ameaça.

O ataque ocorreu em um corredor lotado minutos antes de as aulas do dia começarem. Dos 19 estudantes feridos, quatro tiveram ferimentos sérios. O policial ferido já recebeu alta do hospital. Segundo o porta-voz de segurança pública do Condado de Westmoreland Dan Stevens, nem todos os alunos feridos foram esfaqueados. Alguns sofreram arranhões e cortes durante a confusão após o ataque.

Seefeld disse que a investigação da cena do crime na escola, que fica cerca de 24 quilômetros a leste de Pittsburgh, pode se estender por alguns dias. O superintendente da Franklin Regional High School, Gennaro Piraino, disse que a escola ficará fechada por ora. A polícia não informou o nome do suspeito, que foi levado sob custódia e recebeu tratamento para um ferimento na mão.

Dois estudantes estavam em situação crítica, de acordo com o médico Mark Rubino, do Centro Médico Regional Forbes, o hospital mais próximo da escola, para onde oito vítimas foram levadas. Já o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh tratou 12 pacientes. Funcionários da instituição disseram que dois adolescentes, de 17 e 14 anos, estavam em estado crítico. Outros dois adolescentes, de 17 e 16 anos, estavam em estado grave. Três adolescentes de 17 anos - um menino e duas meninas - passavam bem. Cinco pacientes já receberam alta, inclusive o policial que conteve o agressor e havia sofrido apenas ferimentos superficiais.

O chefe de polícia não deu detalhes sobre o incidente, apenas explicou que "o adolescente atravessou o corredor agitando duas facas para todo lado e feriu pessoas". Seefeld disse ainda que alguém, possivelmente um estudante, apertou um alarme de incêndio depois de ver algumas das vítimas sendo esfaqueadas. Embora isso tenha criado o caos, também fez com que os estudantes corressem para fora da escola mais rápido do que fariam normalmente, destacou. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave