Empregador que não assinar carteira de doméstico pagará multa

Penalidade será fixada com base em valores previstos na CLT, o que deve girar em torno de R$ 294, valor que deverá ser elevado em pelo menos 100% segundo a lei

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Sem empregadas, crianças e maridos terão que ter mais obrigações
arquivo stockxpert
Sem empregadas, crianças e maridos terão que ter mais obrigações

A presidente Dilma Rousseff sancionou lei que prevê pagamento de multa por quem não assinar a carteira de trabalho do empregado doméstico. A nova lei está publicada no Diário Oficial da União (DOU) e entra em vigor em 120 dias.

A lei veio com um veto. A presidente rejeitou o trecho que estabelecia que o valor das multas a serem aplicadas pelas Varas do Trabalho seria revertido em benefício do trabalhador prejudicado.

A multa pela falta do registro na carteira será fixada com base em valores previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o que deve girar em torno de R$ 294, valor que deverá ser elevado em pelo menos 100% segundo a lei.

Esse porcentual, no entanto, poderá ser reduzido se o tempo de serviço for reconhecido voluntariamente pelo empregador, com a efetivação das anotações pertinentes e o recolhimento das contribuições previdenciárias devidas.

A nova lei diz que a gravidade da infração será avaliada levando em conta o tempo de serviço do empregado, a idade, o número de empregados e o tipo da infração. O texto indica que o governo pode esclarecer a população sobre a aplicação da multa por meio de campanha publicitária.

Leia tudo sobre: leidomesticasmulta