Adriano festeja gol, mas lamenta eliminação do Atlético-PR

Atacante encerrou jejum de mais de dois anos, mas isso não foi suficiente para evitar a eliminação do Atlético-PR na Libertadores

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Atacante viveu sensações diferentes na noite desta terça-feira
Gustavo Oliveira/Site Oficial
Atacante viveu sensações diferentes na noite desta terça-feira

O atacante Adriano viveu sensações bem diferentes na noite de terça-feira. O atacante encerrou um jejum de mais de dois anos sem marcar um gol, mas isso não foi suficiente para evitar a eliminação do Atlético Paranaense na fase de grupos da Copa Libertadores, pois o time perdeu por 2 a 1 para o The Strongest, na Bolívia.

"Estou triste por não termos passado de fase, mas foi um gol importante para mim”, disse Adriano, que apontou a altitude de mais de 3.600 metros de La Paz como fator fundamental para a eliminação do Atlético-PR. "Não é desculpa, mas tem diferença jogar na altitude. Isso foi fundamental para o resultado", completou.

Adriano assinou contrato com o Atlético-PR antes do início da fase de grupos da Libertadores. O jogo de terça-feira foi o terceiro como titular pelo clube, mas apenas o primeiro pela equipe principal por uma competição oficial, pois havia começado jogando pela equipe B em compromisso do Campeonato Paranaense e em amistoso que serviu como evento-teste da Arena da Baixada.

Para ele, sua preparação nesse retorno ao futebol vem sendo feita da maneira certa. Agora, ele espera ter mais êxito na disputa do Campeonato Brasileiro. "Era para ser desse jeito. Foi feito uma preparação especial para mim. Fiquei dois anos sem jogar, então falta o ritmo de jogo um pouco. Tudo que foi programado, foi feito", disse. "Temos que pensar no Campeonato Brasileiro, para fazer uma boa campanha”, concluiu.

Assim como Adriano, o técnico Miguel Ángel Portugal apontou a altitude como fator preponderante para a eliminação do Atlético-PR da Libertadores com a derrota para o The Strongest. "Ela (altitude) dificulta o jogo. Tivemos que buscar o ataque, mas não conseguimos. O Strongest joga junto há dois anos e se beneficiou disso”, analisou. "Tentamos de todas as maneiras, colocando jogadores de velocidade, para chegar ao ataque, mas não foi suficiente”, acrescentou.

O treinador fez um balanço da participação do Atlético-PR na Libertadores, em que o time avançou na fase preliminar, mas caiu no Grupo 1, ao somar nove pontos, o que lhe rendeu apenas o terceiro lugar da chave. "Trabalhamos em poucos dias a construção do time antes da estreia e conseguimos a classificação. Na fase de grupo ganhamos três partidas, mas infelizmente não avançamos”, completou.

O Atlético-PR estreará no Campeonato Brasileiro no dia 20 de abril, quando vai enfrentar o Grêmio em Florianópolis. Para Miguel Ángel Portugal, o time pode fazer boa campanha no torneio. "Fizemos bons jogos e acredito que podemos fazer algo mais no Brasileiro. Temos um time com bastante juventude e que precisar de calma, mas o Atlético Paranaense estará ainda mais forte”, finalizou.

Leia tudo sobre: adrianofutebolesportecopa libertadoresatletico-pr