Integrantes do PT defendem colega e negam provas

iG Minas Gerais |

Vaccarezza disse que André Vargas nunca cogitou a renúncia
José Cruz/ABr - 2.12.2010
Vaccarezza disse que André Vargas nunca cogitou a renúncia

Brasília. Deputados petistas saíram em defesa ontem do colega André Vargas (PR). Denúncias envolvem Vargas com o doleiro Alberto Youssef em negócios suspeitos com o Ministério da Saúde.

Para Carlos Zarattini (PT-SP), Vargas não deve renunciar, mas sim usar a licença que pediu para se defender. O parlamentar diz que há um massacre midiático contra o vice-presidente da Câmara. Segundo Zarattini, é preciso discutir tudo à luz de provas e não do “tom” das mensagens trocadas entre Vargas e o doleiro. Youssef foi preso pela PF na operação Lava-Jato.

“Vamos cassar o mandato de alguém sem provas? O uso de jatinho foi um erro, mas não é suficiente para cassar um mandato. Não tem nenhuma prova de que ele usou o mandato dele para favorecimento de empresa com o Ministério da Saúde. Ele falou bem ao dizer que há um massacre midiático em torno dele”, disse Zarattini.

O ex-líder do governo na Câmara, Cândido Vacarezza (PT-SP) também reforçou a defesa de Vargas, de quem é próximo. Vaccarezza esteve ontem com Vargas, e garante que ele não irá renunciar. “Isso nunca foi cogitado”.

Segundo Vaccarezza, é só ler o despacho do juiz Sérgio Fernando Moro, que remeteu ao Supremo Tribunal Federal trechos da operação, em que aparecem as mensagens trocadas entre Vargas e o doleiro, para ver que não há relação criminal entre eles.

“Eu queria que as pessoas lessem o que o juiz enviou ao Supremo. Deixou claro que não existe relação criminosa. Que teve conversas fortuitas, mas não tem relação criminal entre o André e o doleiro. Conheço ele há 20 anos, e, como André mesmo disse, ele cometeu a imprudência de pedir o jatinho emprestado”, disse.

Relembre

Jato. Na semana passada, Vargas disse que não cometeu nenhum crime ao usar o jatinho do doleiro e afirmou desconhecer as atividades de Alberto Youseff, que ele conhece há 20 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave