Move Metropolitano começa a funcionar no próximo dia 26

Sistema terá início na antiga Estação São Gabriel, com duas linhas até o centro e duas para Contagem

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

São Gabriel. Desde o início do Move da capital, estação antiga só funciona durante a madrugada
UARLEN VALERIO / O TEMPO
São Gabriel. Desde o início do Move da capital, estação antiga só funciona durante a madrugada

Nos próximos dias 26 e 27, o transporte coletivo do entorno de Belo Horizonte começa a passar por uma grande transformação para a implantação do Move Metropolitano (nome dado ao BRT). O sistema vai funcionar em paralelo ao Move da capital e terá estações exclusivas, onde os usuários vindos dos bairros precisarão descer para embarcar em ônibus articulados rumo a outros pontos da capital.

Nessa primeira fase, a integração ocorrerá na antiga Estação São Gabriel, desativada após a inauguração do Move da capital. Ela receberá 31 linhas alimentadoras (que vem dos bairros, em substituição a 36 convencionais) de seis municípios e será ponto de partida de duas linhas troncais – pelos corredores exclusivos até o centro (400C direta, sem parar nas estações, e 401C paradora). Estão previstas também duas linhas para a Cidade Industrial, em Contagem: uma pela Via Expressa (405 R) e outra pela avenida Amazonas (406 R).

Da Estação São Gabriel em diante, os ônibus do BRT dividirão espaço com as linhas da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) nos corredores exclusivos para o sistema das avenidas Cristiano Machado, Paraná e Santos Dumont.

“Nossa expectativa é reduzir em cerca de 30 minutos o tempo de viagem e em 70% o número de ônibus (serão cerca de 700 a menos diariamente) da região metropolitana ao centro de Belo Horizonte”, disse o subsecretário de Regulação de Transportes da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), Diogo Prosdocimi.

As primeiras 31 linhas alimentadoras integradas ao novo sistema virão de Caeté, Jaboticatubas, Nova União, Sabará, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas. Cerca de 35 mil passageiros devem usar o sistema por dia nessa primeira etapa.

Prosdocimi explicou que essas linhas continuarão atendendo os usuários nos bairros. O que muda é o percurso das linhas, que não será mais até o centro de Belo Horizonte e terá como ponto final a Estação São Gabriel. No local, além das quatro novas linhas, os usuários poderão descer futuramente nas estações de transferência ao longo da Cristiano Machado e pegar uma linha que virá do terminal Vilarinho rumo à área hospitalar.

Sistema. A inauguração do Move Metropolitano na Estação São Gabriel faz parte de uma série de ampliações do sistema prevista para este ano. Ao todo, serão sete estações. Em maio, a Setop promete implantar, mesmo que em obras, cinco delas – na capital, em Vespasiano, Ribeirão das Neves e Santa Luzia. A última a ser inaugurada será a Tergip (a atual rodoviária da capital, que será transferida para uma nova sede no São Gabriel).

No fim da implantação, o Move Metropolitano deve contar com 288 ônibus: 115 articulados, 154 padrons mistos (com portas dos dois lados) e 19 padrons convencionais (com portas só do lado esquerdo). Eles terão ar-condicionado e outras tecnologias aos moldes do BRT da capital.

VLT Aeroporto

Estudo. A implantação do Veículo Leve sobre Trilhos, que ligará a capital ao aeroporto de Confins, está sendo discutida entre o Estado e as prefeituras envolvidas. O edital de licitação do Rodoanel Norte deverá ser publicado nas próximas semanas.

Saiba mais sobre o sistema

Investimentos. O Move Metropolitano é de responsabilidade do Estado. A construção dos terminais do BRT está custando aos cofres estaduais R$ 162 milhões. Estão sendo gastos outros R$ 30 milhões em intervenções viárias.

Improviso. A Setop promete inaugurar até o mês de maio cinco das sete estações do Move Metropolitano. Mas elas começam ainda na base do improviso. Na área hospitalar, na capital, a estação da avenida Bernardo Monteiro só deve ficar pronta em 2015. Até lá, os pontos de ônibus serão improvisados na avenida dos Andradas e na rua Ceará.

Rodoviária. No caso da nova rodoviária da capital, no bairro São Gabriel, na região Nordeste, enquanto ela não estiver pronta para receber o Move Metropolitano, os ônibus do sistema irão usar duas estações municipais (uma na avenida Paraná e outra na Santos Dumont).

Região. Os terminais São Benedito, em Santa Luzia, e Justinópolis, em Ribeirão das Neves, também só ficam prontos em 2015, mas começam a funcionar em estações metálicas móveis, improvisadas ao lado das obras.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave