Ucrânia acusa manifestantes pró-russos de fazer 60 reféns em Lugansk

Autoridades afirmam que 'invasores' colocaram minas no entorno da sede dos serviços de segurança da cidade, que fica no Leste do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 O grupo também anunciou, segundo a Interfax, um referendo para a população decidir se o território será anexado à Rússia antes do dia 11 de maio
AP
O grupo também anunciou, segundo a Interfax, um referendo para a população decidir se o território será anexado à Rússia antes do dia 11 de maio

As autoridades ucranianas informaram nesta terça-feira (8) que ativistas pró-Rússia ocupam desde domingo a sede dos serviços de segurança em Lugansk, no Leste do país; colocaram minas no entorno do prédio e mantêm 60 pessoas como reféns.

Em comunicado, os serviços de segurança indicaram que os ativistas, que têm resistido às manobras das forças de segurança, recorreram a medidas terroristas para manter dezenas de pessoas dentro do edifício governamental.

“A unidade antiterrorista dos serviços de segurança ucranianos (…) averiguou que os criminosos colocaram minas no edifício (…) e mantêm como reféns cerca de 60 pessoas, ameaçando estas pessoas com armas e explosivos”, informa o comunicado.

Manifestantes pró-Rússia assumiram no domingo o controle de edifícios governamentais em várias cidades ao Leste da Ucrânia, região fronteiriça com a Rússia, onde a maioria da população fala russo.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave