O pior show da carreira de Kurt Cobain

Em pleno auge do Nirvana, a banda apresentou um dos shows mais lendários, surreais e emblemáticos frente a cerca de 110 mil pessoas em São Paulo, no Hollywood Rock 1993

iG Minas Gerais | Lucas Mendes |

Hollywood Rock 1993
Reprodução da internet
Hollywood Rock 1993
Há quem diga que catarse possa ser definida como um momento de purgação das emoções.Para uma geração de jovens, que vivenciava o auge do grunge no início dos anos 1990,essa experiência não poderia ser traduzida melhor do que estar em São Paulo, no dia 16 de janeiro de 1993, à frente do palco do extinto festival Hollywood Rock. Até porque se ali apresentaria, pela primeira vez no Brasil, a banda mais representativa do rock naquele momento: o Nirvana.   No line-up do festival, foram escaladas bandas de grunge e rock alternativo que estavam acontecendo no país. Finalmente seria a chance do público brasileiro de conferir a tal cena grunge de Seattle. OAlice In Chains e os Red Hot Chili Pepperseram as atrações internacionais do primeiro dia, enquanto,no segundo dia de festival, a bandagrunge femininaL7ficou incumbida de assumir a abertura do show mais esperado daquele fim de semana.   Na época, o grupo de Kurt Cobain, Dave Grohl e Krist Novoselic ainda surfava no sucesso do álbum “Nevermind”. Ou seja, tudo conspirava a favorpara aquela noite.Porém, o que se viu foi um dos shows mais catastróficos e surreais já realizados frente à um grande público. 110 mil pessoas assistiram aum Kurt Cobain introspectivo, mais alterado do que de costume, cometendo vários surtos duranteas músicas. A tragédia já havia se anunciado logo na abertura do show, com uma versão incrivelmente lenta de “School”. Dali em diante, uma coleção de momentos imprevisíveis estava por vir. Para se ter ideia, até a clássica “Smells Like Teen Spirit”entrou no rol de bizarrices cometidas naquela noite. O solo de guitarra de Kurt deu lugar ao trompete de Flea, baixista do Red Hot Chili Peppers, que apareceu no palco de surpresa. Em seguida, Krist abandonou o palco, tendo que ser encontrado e convencido a voltarpara que evitasse problemascontratuais. Para piorar, não só as improvisações feitas pela banda estavam fora de compasso, como também a afinação dos instrumentos. Ainda teve espaço para covers mal executadas de Iron Maiden, Duran Duran e Led Zeppelin no setlist, quando mais da metade do público já havia deixado o Morumbi.   Kurt quebrando sua guitarra: www.youtube.com/watch?v=VhLwE3xnuIM   Os fãs mais ardorosos considerarama apresentaçãodigna de um show de rock, associado à concepção de rebeldia e irreverência.Por outro lado, a crítica não mediu esforços para detonar a apresentação “desconstrutivista”, como foi classificada pela revista Bizz, em tom irônico. O fato é que a escassez de imagens e registros – de uma época em que smartphones e câmeras digitais ainda inexistiam - ajudam a elevar o grau de misticismo dessa apresentação histórica, cercada de teorias conspiratórias contras e favoráveis ao comportamento de Kurt Cobain e sua banda.   O músico João Gordo, do Ratos de Porão, encontrou a banda após o show em São Paulo e disse ter sido um dos culpados pela apresentação desastrosa.“Eles estavam de saco cheio da vida, dos 20 milhões de dólares que tinham ganhado, estavam odiando tudo, aquele auê e a bajulação em cima deles. E aí falamos para eles que aquele era um festival capitalista, de uma marca de cigarro, e aí eles começaram a zoeira. Se o show foi uma bosta, foi por minha culpa e dos meus amigos”, revelou ao Portal Uol.   RIO DE JANEIRO Uma semana depois, no dia 23, a banda ainda tocaria na versão carioca do Hollywood Rock, realizado na Praça da Apoteose. Desta vez, a banda se mostrou comprometida, ao menos na execução das músicas. Como não poderia faltar polêmica, Kurt Cobain cuspiu nas lentes de todas as câmeras de televisão, tentou destruir os suportes e equipamentos do palco, brincou de simular masturbação. Alguns momentos dessa apresentação estão registradas no documentário "Live! Tonight! Sold Out!!”, relançado em DVD em 2006.   SETLIST DO SHOW DO NIRVANA DE SÃO PAULO – 16/1/1993
  • "School"
  • "Drain You"
  • "Breed"
  • "Sliver"
  • "In Bloom"
  • "About a Girl"
  • "Dive"
  • "Come as You Are"
  • "Molly's Lips" (The Vaselines)
  • "Lithium"
  • "Polly"
  • "D-7" (Wipers)
  • "Smells Like Teen Spirit"
  • "On a Plain"
  • "Negative Creep"
  • "Been a Son"
  • "Something in the Way"
  • "Blew"
  • "Aneurysm"
  • "Territorial Pissings"
  • "Run to the Hills" (Iron Maiden)
  • "Heartbreaker" (Led Zeppelin)
  • "We Will Rock You" (Queen)
  • "Seasons in the Sun" (Terry Jacks)
  • "Kids In America" (Kim Wilde)
  • "Should I Stay or Should I Go" (Clash)
  • "867-5309/Jenny" (Tommy Tutone)
  • "Rio" (Duran Duran)
  • "Lounge Act"
  • "Heart-Shaped Box"
  • "Scentless Apprentice"
  • Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave