Central Lucão vê Sada em melhor momento físico para a final

Apesar de menos lesões e bom entrosamento do adversário, jogador do Sesi-SP acredita que experiência do elenco pode superar adversidades

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Central soma quatro títulos da Superliga
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
Central soma quatro títulos da Superliga

 

Uma das principais peças do Sesi-SP para a final da Superliga masculina, no domingo, às 10h, contra o Sada Cruzeiro, é o central Lucão. O jogador da seleção brasileira foi campeão da edição passada, justamente contra o mesmo Sada, quando defendia o RJ Vôlei-RJ.

Ao todo, são quatro títulos brasileiros. Os outros três vieram quando ele defendia a extinta Cimed-SC.

Uma das vantagens apontadas pelo atleta, a favor do Sada Cruzeiro, é o fato do time mineiro ter enfrentado menos problemas físicos na temporada. No entanto, a superação de cada jogador poderá fazer a diferença para que a taça vá para São Paulo.

“Nós sofremos com lesões nesta temporada e eles, não. Além disso, o Cruzeiro tem uma base de muito tempo, estão juntos há mais tempo e tem um entrosamento muito bom. Mas sabemos que final é um jogo só e vamos para cima para buscar esse título”, comenta.

Experiência e cabeça no lugar A experiência do jogador em decisões pode ser útil para levar o Sesi-SP ao segundo título do maior torneio do país. Ele conta com a parceria de companheiros de time para que o resultado positivo posso aparecer dentro do Mineirinho.

“Temos uma equipe com jogadores experientes em finais, não só pela Superliga, como em competições internacionais com a seleção, e sei que vamos estar bem preparados para esse importante jogo. Cada um sabe o que tem que fazer e acredito que não vamos ter tantos problemas em relação a isso”, destaca o jogador.

Lucão garante que a preparação está sendo bem feita e que poucas mudanças serão necessárias para a partida decisiva. "Temos que seguir fazendo o que vinha sendo feito, com foco na preparação física, para chegar bem a essa final. O Sada Cruzeiro é um time difícil e vamos precisar ter a cabeça no lugar", salienta.

Depois de jogos complicados contra o Brasil Kirin-SP, pelas semifinais, o central acredita que o Sesi-SP chega em um bom momento para a final, que será definida em encontro único, na casa do adversário. A ausência do oposto Evandro, que se contundiu na reta final da competição, foi superada com a entrada de Renan, jovem de 2,17m.

“Nossa equipe cresceu bastante desde o playoff. Fizemos bons jogos na semifinal. E, mesmo que o time tenha perdido o Evandro, que era um ponto de referência, o Renan entrou muito bem e está bem entrosado com o time”, comemora.