Sede vai ficar na região central

Edital do concurso público para escolha do projeto arquitetônico será lançado hoje

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Definição. Lacerda divulga hoje o local em que será construída a nova sede da administração municipal
Lincon Zarbietti / O Tempo
Definição. Lacerda divulga hoje o local em que será construída a nova sede da administração municipal

Depois de muita polêmicas, a Prefeitura de Belo Horizonte dará hoje o primeiro passo para a construção do novo centro administrativa da capital, que vai integrar todas as secretarias e serviços da administração municipal. Hoje será lançado pelo Executivo o edital do concurso público para a apresentação de projetos de arquitetura para o novo espaço, que será construído no centro da cidade.

Apesar de inicialmente ter sido proposto para a região da Lagoinha, como mostrou O TEMPO com exclusividade no ano passado, o centro administrativo será construído agora no coração da capital. De acordo com uma fonte próxima ao prefeito Marcio Lacerda (PSB), o edital que será divulgado hoje – com atraso de quase dois meses – especificará a área do empreendimento e a previsão de custos com a construção, que ocorrerá por meio de uma Parceria Público- Privada (PPP).

A prefeitura tem mantido sigilo sobre o endereço da nova sede. Especula-se, porém, que o espaço usado seja o de um lote próximo à praça da Estação. O que se sabe com mais clareza até o momento é que a integração das secretarias será próxima ao metrô da capital e das estações do Move BRT para facilitar o transporte dos funcionários públicos e, ao mesmo tempo, evitar grandes impactos no trânsito na região. “Foi feito um estudo de impacto, está tudo bem estudado e elaborado”, garante uma fonte que preferiu o anonimato. Lacerda, que participou ontem da posse do novo secretariado estadual, confirmou o lançamento do edital, mas preferiu não dar mais detalhes sobre a obra.

Mudanças. Desde o ano passado, a construção do centro administrativo vem gerando polêmica na capital Tanto que Lacerda vinha evitando tratar do assunto.

Inicialmente, a proposta de construir na região da Lagoinha acabou frustrada devido às críticas e manifestações de moradores, preocupados com impactos no trânsito e com a desapropriação de famílias. Posteriormente, com o embate entre prefeitura e moradores, o prefeito chegou a confirmar a intenção de utilizar um terreno próximo ao Boulevard Shopping, na avenida dos Andradas, para abrigar o centro administrativo.

“Temos um terreno muito bom, ali perto das ‘Torres Gêmeas’ (prédios inacabados no Santa Tereza), próximo ao Boulevard Shopping. Com uma estação de metrô do lado, seria um local indicado. Avaliamos vários locais no centro ampliado para essa alternativa, mas falta ainda bater o martelo”, declarou o prefeito em evento no ano passado.

Porém, o prefeito se reuniu com moradores da Lagoinha, que continuavam protestando contra o empreendimento, no fim do ano passado, e garantiu que havia desistido. (Com Lucas Pavanelli)

Lançamento

Aguardado. O lançamento do edital do concurso público para apresentação de projetos para o centro administrativo da Prefeitura de Belo Horizonte será às 15h, no museu Abílio Barreto.

Inspiração

Ideia.  Despesa. A construção de um centro administrativo municipal é baseado na Cidade Administrativa, no bairro Serra Verde, na região Norte da capital. Ela foi idealizada e concluída no governo do PSDB. Discurso. Na época da construção da Cidade Administrativa estadual, os tucanos usaram o mesmo argumento hoje adotado pelo prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB): a economia. Economia

Argumentos. A principal justificativa usada pelo prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), para a construção do centro administrativo na capital é a economia. Aluguel. Segundo ele, o Executivo gasta, por ano, cerca de R$ 40 milhões com o aluguel de pelo menos sete prédios. A economia, de acordo com o prefeito, seria de R$ 30 milhões anuais.

Centralidade. O complexo abrigaria cerca de 7.000 servidores com o deslocamento de cerca de 80% das secretarias e órgãos da prefeitura. Único espaço. Apenas o aluguel do prédio da Secretaria de Esporte e Lazer, por exemplo, custa R$ 8,6 milhões por dois anos de contrato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave