O tantrismo nosso de cada dia

Tradição nascida na Índia busca a integração com a consciência universal

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

Tantrismo. O professor de sânscrito João Carlos Gonçalves vai ensinar sobre o Sivaísmo da Caxemira
Fabiana Barros de Almeida/Divulg
Tantrismo. O professor de sânscrito João Carlos Gonçalves vai ensinar sobre o Sivaísmo da Caxemira

Você quer aprender a meditar ou já medita e tem dificuldades em aprofundar suas experiências? Se a carapuça serviu, você pode melhorar sua atual condição por meio de um curso de tantrismo que vai acontecer em Belo Horizonte nos dias 12 e 13, dentro de um programa de capacitação em ioga.

O professor é João Carlos Gonçalves, 40, formado em letras pela Universidade de São Paulo (USP) e doutorado em linguística, direcionado para o estudo de textos da Índia antiga compostos em sânscrito.

Ele decidiu estudar um idioma pouco comum porque queria conhecer a fundo a cultura indiana. Hoje é professor do Instituto Paulista de Sânscrito e na USP. “Essa é uma língua fundamental para entender a cultura indiana. Há uma literatura extensa nesse idioma, e as obras mais antigas que chegaram até nós datam de cerca de 1500 a.C. Desse período até os dias atuais, a língua continua ativa, novos textos estão sendo compostos e os antigos são estudados nos contextos científico e tradicional”, diz ele.

Dedicação. Segundo ele, para meditar bem “é necessário empenho pessoal e conhecimento”. “O curso que vou ministrar pretende oferecer um conhecimento que faça com que o praticante aproveite da melhor forma possível o tempo empenhado nas práticas meditativas. Esse conhecimento veio de uma tradição indiana que costumamos chamar de Sivaísmo da Caxemira, cujas bases foram fundadas sobre tantra, ou tantrismo”, diz.

João começa explicando sobre o tantra. “Temos conhecimento histórico de textos que começaram a ser compostos ao redor do século V d.C, que se identificavam como tantra. A partir daí, muitas tradições se afiliam a esses textos, estabelecendo suas próprias doutrinas, práticas espirituais, rituais e corpos éticos. Portanto, há várias escolas de pensamento afiliadas a essa corrente que chamamos genericamente de tantrismo”, fala.

“Se pudermos dizer que há algo em comum entre elas, é o fato de que elas entendem que materialidade e espiritualidade não são necessariamente opostos ou excludentes”.

Para isso, diz o professor, “precisamos entender um pouco da história do pensamento místico indiano, em que a vida no mundo, nas esferas familiar e social, foi vista, na maior parte das vezes, como um obstáculo para as práticas espirituais”.

João explica que “o núcleo ortodoxo do hinduísmo lida continuamente com as noções de pureza e impureza, impondo uma série de preceitos e rituais que visam a purificação, o que historicamente qualificou as experiências comuns da vida como algo que se opõe à sacralidade”.

Novo significado. É nesse contexto que o tantra funda suas bases “e pensa de forma oposta a essas correntes ortodoxas do hinduísmo. Temos, nas escolas de pensamento tântricas, a percepção de que o mundo material é proveniente de uma força divina criativa, sendo, portanto, necessário dar um novo significado à oposição que fazemos entre matéria e espírito. Nesse sentido, as práticas espirituais auxiliam o adepto a conquistar uma nova percepção da realidade, e perceber que as duas realidades são inerentemente sagradas”, comenta o professor.

Tudo é um. O Sivaísmo da Caxemira é uma das escolas de pensamento indianas afiliadas ao tantra. “Compartilha desse mesmo objetivo: permitir que as pessoas adquiram, por meio de suas práticas, uma sabedoria tão grande e tão intensa que sejam capazes de sentir que sua existência está totalmente inserida no universo. E que, de fato, não há distinção entre a consciência do indivíduo e a universal. A consciência do indivíduo é apenas uma contração da consciência universal. Isso é um propósito extremamente integrador”, observa João.

AGENDA: O curso de tantrismo com João Carlos Gonçalves acontece nos dias 12 e 13 de abril, dentro do programa de capacitação em ioga. Localização: rua Turfa, 1.220, Barroca. Informações: (31) 9794-6829 com Fabiana.

Conquistas

Conhecimento sobre si mesmo.

Superação do medo da morte.

Manutenção de um estado pleno de felicidade.

Poder sobre os cinco sentidos.

Destruição do egoísmo.

Transcendência dos instintos naturais da espécie.

Identificação plena entre a consciência individual e a universal.

Meta

Tantrismo. Seu objetivo é livrar o ser da percepção fragmentada e produzir um estado cognitivo em que ele seja capaz de se ver em todo o universo e ver todo o universo em si.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave