Manifestantes fecham trânsito contra o aumento da tarifa de ônibus

Grupo ocupa a avenida Afonso Pena nos dois sentidos; uma catraca foi queimada em frente à prefeitura

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

"Da Copa, da Copa, da Copa eu abro mão, eu quero é saúde, transporte e educação", diz o grito dos manifestantes que fecham o trânsito nos dois sentidos da avenida Afonso Pena, na região Central de Belo Horizonte. Carregando vários cartazes e uma faixa com os dizeres "Se a tarifa aumentar, a cidade vai parar", o grupo protesta contra o aumento no valor das passagens de ônibus na capital. No sentido Rodoviária, uma fila de ônibus já começa a se formar. 

Os manifestantes caminharam até a porta da prefeitura, onde queimaram uma catraca. O reajuste da tarifa de ônibus, que deveria passar de R$ 2,65 para R$ 2,85 a partir do dia 6 de abril foi suspenso até o dia 1º de maio para realização de uma verificação no relatório que embasou o aumento.

A economista Júlia Nascimento, de 24 anos, integrante do Movimento Tarifa Zero, diz que o grupo quer que o Ministério Público faça uma auditoria e não apenas uma verificação do relatório apresentado pela Ernst & Young. Segundo ela, o documento não foi embasado em dados oficiais, como notas fiscais, e, sim, em uma estimativa de mercado. Ainda segundo Júlia, o movimento protocolou um pedido de investigação sobre o relatório no MP. "O ato tem o objetivo de mobilizar a população, porque só temos 30 dias", afirmou a economista.

Para fugir da interdição, muitos motoristas tentaram passar pela calçada, complicando o trânsito na Afonso Pena. De acordo com a Polícia Militar (PM), há cerca de 400 manifestantes no local.

Atualizada às 18h39

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave