Ranking deixa Brasil fora dos cabeças de chave na Davis

Adversários ideais do país por um lugar no Grupo Mundial seriam os belgas, que não têm atletas entre os 100 melhores do ranking mundial

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A atualização do ranking da Copa Davis, nesta segunda-feira, confirmou que o Brasil, mantido na 20ª colocação, não será cabeça de chave no sorteio da repescagem, que será realizado na terça. Diante dos oito possíveis adversários, em quatro o país seria mandante do confronto. Contra outros três favoritos, a equipe brasileira seria visitante. Um mando teria que ir para sorteio.

Contra Espanha (terceiro lugar no ranking), Estados Unidos (nono), Croácia (15º) e Bélgica (16º), o Brasil fez o último confronto fora de casa. Assim, seria a vez de ser mandante. Os adversários ideais por um lugar no Grupo Mundial, assim, são os belgas, que não têm atletas entre os 100 melhores do ranking mundial. Nesta lista são 13 espanhóis, sete norte-americanos e três croatas.

Diante de Argentina (quarta), Canadá (oitavo) e Austrália (14ª) o confronto seria fora de casa, uma vez que o último duelo aconteceu no Brasil. Já contra a Sérvia o local seria escolhido por sorteio. Os dois países (o rival como Iugoslávia) já se enfrentaram em 1967, antes, portanto, de começar a valer o sistema de rodízio. Um duelo com os argentinos seria histórico uma vez que os dois arquirrivais não se enfrentam desde 1980. Em sete confrontos, são cinco vitórias argentinas.

A liderança do ranking da Davis segue com a República Tcheca, seguida de Sérvia, Espanha, Argentina e França, sem alterações nas cinco primeiras colocações. Itália e Suíça, que avançaram às semifinais, ganharam duas posições e ultrapassaram Canadá e EUA. Ucrânia e Israel passaram o Brasil, que ganhou os lugares de Áustria e Polônia ao vencer o Equador em Guayaquil pela rodada final do Zonal Americano.

A repescagem mundial será entre os dias 12 e 14 de setembro, quando também acontecerão as semifinais do Grupo Mundial: República Tcheca x França e Itália x Suíça. A decisão do título será entre 21 e 23 de novembro. Os tchecos são os atuais tricampeões. Roger Federer vai atrás do primeiro título e da primeira final.

RANKING DA ATP - Nesta segunda-feira, foi atualizado também o ranking da ATP, sem grandes alterações, uma vez que a semana anterior foi de jogos da Davis. Richard Gasquet (França) subiu uma posição e entrou no top10, tirando Milos Raonic (Canadá). Outro francês a avançar foi Gael Monfins, para o 23º lugar, ganhando um posto. Já Radek Stepanek (República Tcheca) subiu sete posições e é o 40º.

Entre os brasileiros, Thomas Bellucci, que não jogou contra o Equador, perdeu um posto e é o 105º. Rogerinho, por sua vez, subiu duas posições para agora figurar no 155º lugar. Em duplas, nenhuma mudança, com Bruno Soares em terceiro e Marcelo Melo em quinto.

Confira os 20 primeiros colocados do ranking:

1º - Rafael Nadal (Espanha), 13.730 pontos 2º - Novak Djokovic (Sérvia), 11.810 3º - Stanislas Wawrinka (Suíça), 5.760 4º - Roger Federer (Suíça), 5.355 5º - Tomas Berdych (República Tcheca), 4.720 6º - David Ferrer (Espanha), 4.640 7º - Juan Martin Del Potro (Argentina), 4.260 8º - Andy Murray (Grã-Bretanha), 4.040 9º - John Isner (EUA), 2.715 10º - Richard Gasquet (França), 2.635 11º - Milos Raonic (Canadá), 2.580 12º - Jo-Wilfried Tsonga (França), 2.550 13º - Fabio Fognini (Itália), 2.400 14º - Tommy Robredo (Espanha), 2.140 15º - Grigor Dimitrov (Bulgária), 2.130 16º - Mikhail Youzhny (Rússia), 2.090 17º - Tommy Haas (Alemanha), 2.075 18º - Kei Nishikori (Japão), 1.985 19º - Kevin Anderson (África do Sul), 1.940 20º - Nicolas Almagro (Espanha), 1.750 105º - Thomaz Bellucci (Brasil), 567 140º - João Souza, Joao (Brasil), 408 155º - Rogério Dutra Silva (Brasil), 368 172º - Guilherme Clezar (Brasil), 313

 

Leia tudo sobre: brasilforacabeças de chavedaviscopatenis