Genocídio que fez mais de 1 milhão de vítimas completa 20 anos

O genocídio de 1994 em Ruanda foi incentivado pelos extremistas da etnia hutus contra os tutsis, na tentativa de eliminar os rivais do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Mulheres chegaram a passar mal na cerimônia de 20 anos do genocídio
AP
Mulheres chegaram a passar mal na cerimônia de 20 anos do genocídio

Ruanda está relembrando nesta segunda-feira (7) o 20º aniversário do genocídio que matou mais de um milhão de pessoas da etnia tutsis na tentativa de fazer uma limpeza étnica. O presidente do país africano, Paul Kagame, e o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon participam juntos de uma cerimônia nesta segunda-feira no Centro Memorial do Genocídio.

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, disse que o genocídio é uma "lembrança devastadora que nos recordam que os pesadelos podem realmente acontecer".

A cerimônia continua ao longo do dia no estádio de esporte Kigali, onde milhares de pessoas participam de uma cerimônia à luz de velas na noite desta segunda-feira.

O genocídio de 1994 em Ruanda foi incentivado pelos extremistas da etnia hutus contra os tutsis, na tentativa de eliminar os rivais do país. O atual presidente ganhou elogios das autoridades internacional por acabar com a violência e conseguir desenvolver a economia e a saúde pública. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave