Nova pista de pouso em 2020

iG Minas Gerais |

Durante os 30 anos de concessão, o consórcio que vai administrar Confins deve investir cerca de R$ 3,5 bilhões. Além das grandes obras previstas – construção de um novo terminal de passageiros e de uma nova pista – há 32 indicadores de qualidade que serão avaliados, como disponibilidade de assentos, elevadores e escadas rolantes. A expectativa é que haja melhoras também em serviços comerciais, alimentação e conexão à internet.

O desafio para tornar o aeroporto melhor é enorme. Atualmente, os passageiros convivem com um canteiro de obras que tornou a circulação pelo terminal um desafio. Em pesquisa divulgada há cerca de dez dias pela Proteste Associação de Consumidores, o aeroporto foi avaliado como um dos seis piores do mundo. O terminal recebeu 62 pontos em uma escala que vai de zero até cem.

Investimentos. O segundo terminal de passageiros deve ficar pronto em dois anos e a segunda pista de pouso, em 2020.Hoje, o aeroporto recebe 10,4 milhões de passageiros por ano. Até o fim da concessão, serão cerca de 43 milhões de pessoas anualmente.

O terminal 2 é uma promessa antiga. Em 2009, já existia a ideia de construir um novo terminal e em 2011 o governo de Minas Gerais elaborou um projeto executivo para a obra. O consórcio que vai administrar o aeroporto não é obrigado a aproveitar este projeto, mas se quiser usá-lo poderá antecipar a construção, já que vai eliminar uma etapa. O projeto foi custeado pela Infraero e custou R$ 10,46 milhões. (APP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave