‘Ela não fez o que prometeu’

iG Minas Gerais |

Brasília. O pré-candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos, disse ontem que o movimento de bastidores no PT e entre agentes econômicos pela volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “ajuda ainda mais a comparar” o petista com sua sucessora no Planalto.

Dessa forma, essa ação teria o efeito de “desgastá-la (Dilma) ainda mais, pois é o atestado de que ela não entregou o que prometeu”. Campos falou ao jornal “Folha de S. Paulo”, por telefone a partir de uma praia em Pernambuco onde passará uma semana de descanso, com a família.

Aliado ao PT até o ano passado, ele renunciou ao cargo de governador de Pernambuco na última quinta-feira para disputar o Palácio do Planalto em outubro.

O movimento “volta Lula”, diz Campos, “é uma confirmação da base aliada ao governo de que ela (Dilma) iria entregar crescimento, mas entregou inflação. As duas marcas que a presidente tinha, até então, estão afetadas: a de ser eficiente na gestão e de que faria uma faxina moral no governo”.

O ex-governador pernambucano fez as observações ao comentar os resultados da pesquisa Datafolha. No cenário mais provável de candidatos, Dilma está com 38% das intenções de voto. Aécio Neves (PSDB) registrou 16%. Campos teve 10%.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave