Rir relaxa os vasos sanguíneos, o que favorece a circulação

iG Minas Gerais |

Nova York. Existem questões importantes que o livro não aborda. Em particular, a discussão do humor masculino e feminino é interessante, mas insatisfatória. Ao explicar por que os homens costumam fazer mais piadas embora as mulheres tenham uma tendência maior de rir delas, Scott Weems especula que as mulheres encaram as piadas “com uma mente mais aberta”. Entretanto, eu suspeito que existam fatores culturais em ação que têm a ver com poder e submissão.

Mas Weems faz uma boa defesa de que o humor nos torna melhores e de que todos nós deveríamos rir mais. “Estudos mostram que o humor melhora nossa saúde, nos ajuda a nos dar bem com os outros e até nos torna mais inteligentes”, garante o livro. Rir literalmente relaxa os vasos sanguíneos, promovendo uma circulação saudável, de forma similar ao exercício aeróbico.

Curiosamente, no entanto, as pessoas mais engraçadas não vivem mais tempo. Não apenas elas costumam ser mais neuróticas como apresentam maior probabilidade de fumar, a ser mais sedentárias e a ganhar peso.Em famoso estudo sobre humor conduzido por James Rotton, Universidade Internacional da Flórida, os participantes que assistiam a filmes cômicos após uma cirurgia pediam 25% a menos de analgésicos. Outro estudo mostrou que ver um episódio de “Friends” reduzia três vezes mais a ansiedade do que sentar-se e relaxar. Os participantes do estudo também se saíram melhor em testes cognitivos. (FW/NYT)

 

 

Prática

Riso. Scott Weems afirma ser possível melhorar o senso de humor, seja por treinamento ou aumentando a exposição a pessoas e mídias engraçadas, em conjunto com muita prática.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave