Amis diz não ter notícia desse erro

iG Minas Gerais |

Sócio-proprietário da rede Verdemar e atual presidente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), Alexandre Poni reconhece que esse tipo de erro pode acontecer, porque a remarcação de preço é um trabalho dinâmico e humano. Para a sua rede – destinada ao público de alta renda –, Poni importou da França um modelo de etiquetagem eletrônica, que elimina o problema da diferença de preços. “Foi um investimento alto, mas que vai se pagando a médio prazo, porque a gente elimina do processo uma série de etapas e reduz a quase zero a possibilidade de erros”, explica o superintendente de Operações do Verdemar, Carlos Melo.

Até o momento, apenas a unidade localizada na avenida Raja Gabaglia, região Sul da capital, conta com a etiqueta eletrônica – uma tela de cristal líquido que indica o preço dos produtos. Como os caixas e as gôndolas são alimentadas pelo mesmo software, é praticamente impossível haver diferença de preços. A intenção da empresa é ampliar essa tecnologia para as demais lojas da rede nos próximos anos. (PG)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave