Caracterização e ambientação são o forte do folhetim

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Parte do elenco, a atriz mineira Teuda Bara interpreta Mãe Benta
Rede Globo / Divulgação
Parte do elenco, a atriz mineira Teuda Bara interpreta Mãe Benta

Encantado com o cenário da nova novela das seis, “Meu Pedacinho de Chão”, Pedro, filho da atriz Juliana Paes, disse à mãe que queria dormir ali. Ela advertiu que ali era um estúdio, por isso não seria possível. “Mas ele não quis saber e disse que ficaria”, conta a atriz, que interpreta Catarina na nova trama das 18h, da Globo.

Pedro tem 3 anos e, assim como ele, outras milhares de crianças vão ser atraídos pelos cenários atípicos para uma novela dessa faixa de horário. As ruas, calçadas e casas são coloridas e não estão presas a nenhum traço da nossa realidade ou a algum tempo determinado. “É uma novela para crianças, para idosos, para todos”, diz Rodrigo Lombardi, um dos atores da novela.

Na produção, os figurinos têm tanto peso quanto o cenário e, por isso, também vêm chamando atenção para a trama. “A minha caracterização em ‘Meu Pedacinho de Chão’ é a mais demorada que já fiz em novelas. Mas a gente está fazendo isso com muito carinho e para que o público posso ver algo diferente. É uma aposta oito ou 80, mas estou torcendo, pois acho que vai ser 80”, diz Juliana, que passa quase duas horas por dia para se transformar em Catarina.

Entre as drásticas mudanças dos atores estão a aplicação de franja e roupas largas e coloridas para o personagem de Irandhir Santos, a pintura do cabelo de ruivo e a corcunda de Rodrigo Lombardi e o cabelo pintado de rosa da atriz Bruna Linzmeyer. “As mudanças foram incríveis, o (diretor) Luiz Fernando Carvalho tem uma visão muito estética, ele sempre vai além”, diz Jonnhy Massaro, que interpreta Ferdinando.

O jovem ator, por exemplo, estava com os cabelos grandes quando começou o processo de caracterização dos personagens e achou que as longas madeixas seriam ótimas para seu papel. “Eu pensei que ele (Carvalho) iria adorar, mas quando cheguei lá ele disse: ‘Você vai usar dreads e lente azul’”, conta.

pai e filho. Mas não foram todos os atores que tiveram uma transformação tão marcante. Entre eles estão Antonio e Bruno Fagundes, respectivamente pai e filho, que pela primeira vez contracenam em uma novela.

Antes, eles já haviam se encontrado nos palcos, nas peças “Tribos” e “Vermelho”. “Estamos há quase sete meses em cartaz e agora na TV estamos juntos pela primeira vez. Foi mais uma questão do acaso do que uma escolha nossa”, comenta Bruno.

Para ele, as mudanças que todos os atores sofreram para viver seu personagem foram fundamentais. “Eu me vejo como Dr. Renato e não como Bruno. Vejo primeiro o personagem e não o ator”, comenta.

Agora na telinha, Bruno enfrenta um novo desafio. Diferente do teatro, ele não está acostumado com a dinâmica de gravar um programa diário para televisão. “São dois veículos muito diferentes. A forma de aproximação e comunicação são distintas, não tem como comparar. Acho que este começo de novela é assustador porque é muito novo para mim. Até me ver em cena, vai ser um tiro no escuro”, opina.

Para superar isso, ele conta com sua própria experiência. “Acho que o teatro vai me ajudar demais na TV. O teatro é a pátria do ator, é o único lugar em que se tem a oportunidade de arriscar porque há repetição, o melhor aprendizado. Então você apreende por ter que fazer a mesma coisa cem, 200 vezes mantendo o mesmo frescor, a mesma intensidade. Por isso, acho que o teatro me preparou para isso”, opina.

E se por acaso algo não sair bem, se engana quem acha que o pai irá acudí-lo. “A partir do momento que dividimos a labuta juntos, não somos mais pai e filho, somos dois profissionais no espaço de trabalho”, afirma Bruno.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave