‘Faz de conta’ levado a sério

Dirigida por Luiz Fernando Carvalho, estreia hoje a novela “Meu Pedacinho de Chão” com cenário e figurinos lúdicos

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Criada especialmente para filmagens, a cidade cenográfica foi construída com material reciclado
fotos rede globo / divulgação
Criada especialmente para filmagens, a cidade cenográfica foi construída com material reciclado

São Paulo. Sempre há um rebuliço quando surge algum programa que fuja dos padrões da TV aberta brasileira. E isso vem acontecendo com a novela “Meu Pedacinho de Chão”, que estreia hoje, na faixa das 18h, desde que a Rede Globo anunciou e começou a divulgar as imagens do folhetim. Com um cenário lúdico (e todo feito com material reciclado) composto de casas revestidas de latas, flores de papel e figurino carregado de cores fortes, a novela parece ser a “menina dos olhos” da emissora (pelo menos neste primeiro semestre). 

A trama, contada por apenas 20 personagens na fictícia Vila de Santa Fé, terá cerca de 105 capítulos – número baixo para as telenovelas da emissora que têm, usualmente, 200 ou mais episódios –, e o olhar infantil da narrativa será explorada por meio dos protagonistas mirins Pituquinha (Geytsa Garcia) e de Serelepe (Tomás Sampaio). “Estamos lidando com o metafísico, com o imponderável. Onde se passa o novela? Ninguém sabe, pois é no interior de lugar nenhum, não é datada. Então, essa a mensagem é: não pense no tempo, pense no que estamos falando, inebria-se”, comenta o ator Rodrigo Lombardi, que interpreta Pedro Falcão na fábula.

O novo folhetim, porém, tem outras credenciais de peso que aumentam a expectativa por uma produção primorosa. A autoria é de Benedito Ruy Barbosa (cujo o texto foi escrito para a primeira versão da novela em 1971) e a direção de Luiz Fernando Carvalho. O primeiro é um velho conhecido da teledramaturgia brasileira, assinou sucessos como “Pantanal” (1990) e “Terra Nostra” (1999). Do outro lado, o diretor tem no currículo o elogiado longa-metragem “Lavoura Arcaica” (2001) e a série “Hoje É Dia de Maria” (2005).

A parceria entre os dois é de longa data. Já trabalharam juntos em “O Rei do Gado” (1996), “Renascer” e “Esperança” (2002). “Eu e Benedito nos completamos, nos traduzimos”, afirmou Carvalho em entrevista coletiva. Já o diretor confia plenamente no comando de Carvalho. “Eu só escrevo. Toda vez que um texto meu vai para as mãos dele, eu saio lucrando”, brinca Barbosa.

De todas as produções que trabalharam juntos, esta é a esteticamente mais ousada. Esse fato representa um risco, pois pode não agradar o público do horário, que está acostumado com produções mais convencionais. Isso, no entanto, não preocupa Lombardi. “Essa é uma pergunta que a gente não faz. Para ser bom para o público tem que ser bom para nós. Eles vão se divertir vendo a nossa diversão. Então se começamos com ‘será quê?’ aí trava-se o processo”, declara Lombardi.

O jovem ator Johnny Massaro, que dá vida a Ferdinando, concorda com o companheiro de elenco e fala em nome do diretor. “O Luiz não espera audiência, não espera boas críticas. Ele quer de fato entregar um bom trabalho e é isso que ele fala o tempo interior e o que estamos fazemos”, diz.

Preparação. Uma das coisas mais interessantes para os atores, conta o Lombardi, foi o processo de imersão da equipe para desenvolvimento de seus personagens. A preparação de todos os atores antecedeu três meses do início das gravações. Nesse período, as caracterizações foram definidas e talentos paralelos à atuação, desenvolvidos. “Eu sempre tive grande vontade de tocar piano e violino, mas nunca tive tempo. Além disso, eu também canto e danço na novela”, diz o ator.

Depois disso, o conjunto de atores ficou mais ligado à essência da trama, fato que não impede pulos para fora do roteiro. “Improvisamos bastante, mas sob a batuta de um maestro. A gente vai criando em cima do que o Luiz Fernando quer, mas é tentativa e erro”, comenta Lombardi, ao declarar que trabalhar na novela tem sido uma excelente experiência. “Eu sempre tive vontade de fazer ‘commedia dell’arte’ e, apesar da novela não ser voltada totalmente para ela, tem algumas das características dessa escola. É o teatro levado para dentro da TV”.

Assim, todos os aspectos em torno de “Meu Pedacinho de Chão” fazem da novela um divisor de águas para Lombardi. “Estamos fazendo algo revolucionário. Não só para o horário, mas para própria teledramaturgia”, afirma o ator.

O jornalista viajou a convite da Rede Globo

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave