Ex-executivo do banco holandês ABN Amro é encontrado morto

Esposa de 57 anos e filha de 22 também foram assassinadas; polícia ainda não determinou a causa das mortes, mas suspeita ser um caso de "tragédia familiar"

iG Minas Gerais | Da Redação |

Um ex-executivo de alto escalão do banco holandês ABN Amro e sua família foram encontrados mortos em sua casa no sábado. Os corpos de Jan Peter Schmittmann, de 57, sua esposa, de 57, e sua filha, de 22, foram descobertos pela polícia em sua casa de campo em Laren, uma cidade próxima de Amsterdã.

A polícia ainda não determinou a causa das mortes, mas suspeita ser um caso de "tragédia familiar". Um porta-voz da polícia holandesa disse que os trabalhos devem ser concluídos no decorrer da semana. Schmittmann era um dos banqueiros mais proeminentes da Holanda. Ele passou mais de duas décadas liderando as operações do ABN Amro no país até ter sido forçado a renunciar por causa da nacionalização do banco em 2008. O ABN Amro foi estatizado pelo governo holandês, como parte do desmantelamento do conglomerado financeiro Fortis.

Em 2009, Schmittmann entrou em uma batalha jurídica com o governo holandês sobre o tamanho do seu pacote de indenização, que totalizou 8 milhões de euros. A corte rejeitou as alegações do governo, argumentando que o executivo deveria ter recebido um montante compatível com seu contrato e os 26 anos de serviços prestados.  Agência Estado

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave