Serra critica Ipea por divulgação de dados errados em pesquisa

Para ele, instituto manteve um padrão mínimo de seriedade e competência nas décadas passadas, mas "começou a ser degradado e aparelhado na era petista"

iG Minas Gerais | Da Redação |

Wilson Dias/Agência Brasil
undefined

O ex-governador de São Paulo e candidato na última eleição para Presidência da República, José Serra (PSDB), fez duras críticas ao governo federal e ao Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) pelos dados errados divulgados na pesquisa sobre a violência contra as mulheres. "É o efeito contágio", disparou, em mensagem publicada em redes sociais.

O Ipea é ligado à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência. Na opinião de Serra, o instituto manteve um padrão mínimo de seriedade e competência nas décadas passadas, independentemente dos governos no poder. No entanto, "começou a ser degradado e aparelhado na era petista" acusou o tucano. "Agora, foi contaminado pela síndrome da inépcia total do governo Dilma", completou.

As críticas foram feitas após o Ipea informar que 65% dos brasileiros concordam, total ou parcialmente, com a afirmação de que "mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas". No entanto, o dado correto é 26%. A pesquisa gerou repercussão no Brasil, com depoimentos da própria presidente Dilma Rousseff condenando o machismo e a violência contra as mulheres. "Isso foi divulgado e gerou declarações, artigos, até discursos indignados pelo machismo da população brasileira. Confesso que não acreditei nos números. Achei que a pesquisa tinha sido mal feita. E foi", criticou Serra. "Erraram nos gráficos, nas perguntas e na amostragem." Agência Estado

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave