Santos tenta confirmar favoritismo na final com Ituano

Clube praiano quer recuperar hegemonia no Estadual neste ano. Já a equipe do interior busca surpreender o Peixe e levar a taça

iG Minas Gerais | Agência estado |

Oswaldo de Oliveira pediu para Gabriel avançar quando tivesse oportunidade
Ricardo Saibun / Santos
Oswaldo de Oliveira pediu para Gabriel avançar quando tivesse oportunidade

O Santos dá a largada neste domingo para voltar a fazer história no primeiro dos dois jogos da final do Paulistão, contra o Ituano, a partir das 16 horas, no Pacaembu. Se confirmar o favoritismo e ficar com a faixa de campeão no próximo domingo, os santistas terão conquistado o primeiro título após a saída de Neymar, negociado com o Barcelona em maio do ano passado, além de ser o começo da consagração de uma nova safra de jovens talentos formada pelo clube.  Entre 2009 e 2013, no reinado de quase cinco anos de Neymar, o Santos ganhou seis títulos, dos quais, três foram paulistas. Agora, são os tempos de Geuvânio, Gabriel e Emerson, que começam como titulares neste domingo, além de Stefano Yuri, Diego Cardoso e outros que foram campeões da Copa São Paulo de Futebol Júnior há pouco mais de dois meses e ficam na reserva diante do Ituano. Neste primeiro jogo da decisão, o renovado Santos quer fazer valer sua força ofensiva - com 46 gols marcados em 17 jogos e apenas 18 sofridos - diante do Ituano, que sofreu apenas dez gols durante todo o campeonato e que está há quatro partidas sem ser vazado.  Se Oswaldo de Oliveira pudesse escolher o rival nas finais seria um dos três grandes da capital (Palmeiras, Corinthians ou São Paulo). "Decidir contra um adversário que não tem obrigação de ganhar é muito mais difícil. A responsabilidade é toda do Santos", disse o treinador, que foi contratado em 16 de dezembro do ano passado e já se tornou unanimidade entre os exigentes torcedores santistas. "Estou feliz e à vontade porque gosto de lançar jogadores da base e aqui isso é quase uma exigência, o que facilita o meu trabalho." O Santos chega descansado e bem preparado à decisão. Terá apenas duas mudanças: Bruno Peres e Emerson substituem os laterais titulares Cicinho e Mena, que cumprem suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O treinador minimiza os desfalques. "Os quatro laterais têm o mesmo nível", afirmou. Nos treinos da semana, nos quais não foram permitida a presença da imprensa, Oswaldo de Oliveira orientou exaustivamente o time em jogadas ofensivas trabalhadas pelos lados do campo e com a chegada de Cícero e Gabriel para se juntarem a Geuvânio, Leandro Damião e Thiago Ribeiro na frente, com o intuito de furar o eficiente sistema de marcação do Ituano. CONFIANÇA - O representante do interior entra na decisão com a fama de exterminador de grandes no Paulistão deste ano. Isto porque, na primeira fase, conseguiu a classificação no Grupo B, com a segunda melhor campanha com 28 pontos, desbancando o Corinthians. Ainda nesta etapa do campeonato, bateu o São Paulo em pleno Morumbi.  Na semifinal, em jogo único, o Ituano conseguiu eliminar o Palmeiras no Pacaembu. Desta forma, o time do técnico Doriva entra confiante para tentar surpreender novamente. "O nosso grande diferencial é que todo mundo trabalha junto. Estamos unidos. Sabemos que não teremos vida fácil, mas não podemos deixar de acreditar", afirmou o treinador, que ficou famoso como jogador do São Paulo e já faz sucesso no começo da nova carreira. A aposta para surpreender novamente na final, agora diante do poderoso ataque santista, é na força da defesa, que já mostrou sua eficiência no Paulistão. "Temos a defesa menos vazada porque a marcação começa lá no ataque. Todos entenderam isso. E isso faz do Ituano uma equipe muito consistente", avaliou Doriva.

Leia tudo sobre: Oswaldo de OliveirafutebolSantosfinalItuanoCampeonato PaulistadecisãoPacaembu