Mundo fantástico

“Meu Pedacinho de Chão”, que estreia amanhã, traz proposta lúdica e colorida para faixa das seis

iG Minas Gerais | luana borges |

Casal. Rodrigo Lombardi e Bruna Linzmeyer formam par romântico na nova trama das seis da Globo, que estreia amanhã
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Casal. Rodrigo Lombardi e Bruna Linzmeyer formam par romântico na nova trama das seis da Globo, que estreia amanhã

Assim que as primeiras chamadas de “Meu Pedacinho de Chão” entraram no ar, foi possível notar a intenção da Globo em atrair os olhares do público para a estreia da próxima trama das seis. Os cenários recheados de cores fortes e informações visuais, o figurino do elenco no estilo conto de fadas e os bichos representados por bonecos são alguns dos elementos que colaboram para uma estética ousada e pouco vista em folhetins, trazida pelas mãos do diretor Luiz Fernando Carvalho.

Em tempos de difusão da internet e de muitas distrações para o telespectador, atingir as expectativas de audiência em todas as faixas tem sido uma meta frustrante para a emissora. Principalmente no horário das 18h, em que a última produção bem-sucedida foi “Cordel Encantado”, de 2011. Talvez por isso a Globo não tenha receio em apostar em uma novela tão heterodoxa. Pelo menos, autor e diretor estão confiantes nesta empreitada. E juram não ligar para cobranças de audiência. “A preocupação com a audiência eu sempre tenho em algum canto, mas, se for pensar nisso, não gravo”, admite Luiz Fernando, que não revela o custo por capítulo, mas nega que seja mais caro que um orçamento padrão de novela. “As pessoas sempre acham que meus trabalhos têm alguma coisa a mais que os outros. Não têm nada de mais. É a mesma câmera, mesmo cenário. O valor do meu trabalho é humano”, filosofa.

Esta não é a primeira vez que “Meu Pedacinho de Chão” vai ao ar. Em 1971, Globo e TV Cultura exibiram a versão original, também escrita por Benedito Ruy Barbosa, simultaneamente. Mas o autor defende que a trama atual não é um remake, mas uma nova obra. Isso porque, há 43 anos, ele não pôde abordar diversos temas por conta da ditadura, como greve de médicos e professores, algo que será retratado desta vez. “Mantive o título e o nome de alguns personagens, mas a história, as questões tratadas e, especialmente, a forma de contá-la são diferentes”, reforça Benedito.

O enredo, que se passa na fictícia Vila Santa Fé, se desenrola através do olhar de duas crianças, Serelepe e Pituca, interpretados por Tomás Sampaio e Geytsa Garcia. Por isso, a novela carrega uma atmosfera lúdica e infantil. Mas traz questões do universo adulto. O principal conflito gira em torno do coronel Epaminondas, vivido por Osmar Prado, e de Pedro Falcão, de Rodrigo Lombardi. Enquanto o primeiro é contra o progresso por receio de perder poder, o segundo contribui para a instalação da primeira escola da região. “Na nossa vida, também lidamos com questões latifundiárias, de saúde, educação, ascensão social... Podemos traçar um paralelo entre tudo o que não tinha naquela época e o nosso tempo”, acredita Rodrigo Lombardi.

Com a escola, chega ao vilarejo a professora Juliana, de Bruna Linzmeyer, o que aumenta ainda mais o ódio do coronel. No mesmo dia, Ferdinando, de Johnny Massaro, filho de Epaminondas, retorna à Vila Santa Fé depois de um período estudando fora. E se encanta justamente por Juliana. Além dele, o capanga do coronel, Zelão, de Irandhir Santos, também se apaixona pela moça depois de não conseguir cumprir a missão que recebeu de botar fogo na escola. O médico Renato, de Bruno Fagundes – filho de Antonio Fagundes e que faz sua estreia na televisão –, amigo de Ferdinando, é outro que se rende aos encantos da professora. “A personagem da Bruna centraliza as atenções desses três rapazes. É claro que essa disputa gera uma forte tensão entre eles. Nossa preparação foi bem voltada para essa disputa. Passamos muitas horas ensaiando, construindo nossos personagens e criando a afinidade certa para as cenas”, revela Irandhir.

Quem é quem na trama das seis da Globo Epaminondas (Osmar Prado)

Maria Catarina (Juliana Paes)

Ferdinando (Johnny Massaro)

Pituquinha (Geysa Garcia)

Zelão (Irandhir Santos)

Pedro Falcão (Rodrigo Lombardi)

Dona Teresa (Inês Peixoto)

Gina (Paula Barbosa)

Giácomo (Antonio Fagundes)

Milita (Cintia Dicker)

Juliana (Bruna Linzmeyer)

Serelepe (Tomás Sampaio)

Doutor Renato (Bruno Fagundes)

Prefeito das Antas (Ricardo Blat)

Viramundo (Gabriel Sater)

Padre Santo (Emiliano Queiroz)

Rodapé (Flávio Bauraqui)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave