Cães têm agora spa exclusivo

Empreendimento na região metropolitana tem piscinas, brinquedos recreativos e até solarium

iG Minas Gerais | Jáder Rezende |


Aposta.
 Ideia da empresária surgiu quando percebeu que cães e seus donos tinham poucas opções de lazer para se divertirem juntos
LEO FONTES / O TEMPO
Aposta. Ideia da empresária surgiu quando percebeu que cães e seus donos tinham poucas opções de lazer para se divertirem juntos

Banquete

Cortesia. O restaurante Belo Comidaria, no bairro São Pedro, em BH, permite a entrada de cães. Lá, os garçons são orientados a tratar os animais com a mesma cortesia dispensada aos donos.

O primeiro spa exclusivamente para cães da Grande BH está prestes a ser inaugurado, com toda pompa e circunstância que o melhor amigo do homem tem direito. Dotado de piscinas “infantil” e “adulta” (incluindo uma de bolinhas), equipamentos como tobogã, brinquedos recreativos e até um solarium – reservado para momentos de descanso e sessões de musicoterapia e cromoterapia –, o Clube Day Use Livre, Leve e Solto abre as portas para a bicharada já no dia 19 de abril.

A ideia, como não poderia deixar de ser, partiu de uma empresária apaixonada confessa por cães. Depois de passar uma longa temporada na Espanha, onde comandou um restaurante por mais de 20 anos, a mineira Wanessa de Souza Vaz retornou às suas origens e enveredou-se no ramo editorial. Ao perceber que aquela não era a sua praia, partiu para uma nova modalidade de empreendimento. Com capital inicial de R$ 200 mil montou, em setembro do ano passado, em São Sebastião das Águas Claras, lugarejo mais conhecido como Macacos, em Nova Lima, um hotel exclusivo para cães, em uma área de 3.500 m², que agora está com a oferta de serviços bastante ampliada.

“Percebi que na capital as pessoas têm cada vez mais bichos de estimação, mas se ressentem das poucas opções de lazer para seus mascotes. Por isso decidi apostar nesse filão”, conta Wanessa. Para garantir atendimento diferenciado no hotel, que recebe, no máximo, 20 hóspedes, ela contratou cinco funcionários, entre monitores e um veterinário plantonista. Com o clube em funcionamento, afirma, a expectativa é de, pelo menos, dobrar o número de funcionários.

A única condição para frequentar o clube canino é que o animal não seja de raças consideradas agressivas, como pit bull e rottweiler. É preciso também fazer a reserva com antecedência mínima de 24 horas. A entrada custa R$ 25 (para o cão e o dono). No caso de “famílias maiores”, são cobrados R$ 15 para o segundo cão e R$ 10 para o terceiro, quarto ou quinto. O clube oferece ainda serviço de táxi-dog, ao custo de R$ 60 a viagem, de qualquer ponto da capital. Durante a estadia, os donos dos cães podem usufruir do bar e restaurante com cardápio à parte.

A meta de Wanessa é criar ainda “espaços privês”, para os que optarem por não se misturar com os demais frequentadores. A forma de pagamento é limitada a cheque ou dinheiro, mas a empresária adianta que, em breve, aceitará também cartões de crédito. As reservas podem ser feitas pelos telefones (31) 3547-7558 e 8885-2828.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave