Ação em apoio ao Luiz Estrela

“Queimão Fotográfico”, realizado pelo coletivo artístico Erro99, quer arrecadar recursos para o centro cultural

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Performance. Humor e improvisação é uma das marcas do “Queimão Fotográfico”, que começou no Festival de Fotografia de Tiradentes
ELCIO PARAISO
Performance. Humor e improvisação é uma das marcas do “Queimão Fotográfico”, que começou no Festival de Fotografia de Tiradentes

Quem circulou pelo Festival de Fotografia de Tiradentes realizado em 2013 e neste ano pode ter se deparado com o “Queimão Fotográfico”, promovido pelo coletivo artístico Erro99. Além da cidade histórica, o grupo vêm organizando edições do leilão em outras praças, como em Paraty e Ouro Preto, e hoje promove uma ação em Belo Horizonte, em frente ao Espaço Comum Luiz Estrela.

Desta vez, o objetivo é arrecadar recursos a serem doados para o centro cultural que, por meio da plataforma Catarse, está recebendo doações para custear uma reforma estrutural urgente no edifício.

“Em Tiradentes, nós dissemos que quem tivesse as suas imagens compradas poderia doar a quantia para o Luiz Estrela e 90% dos participantes fizeram essa escolha. Agora, nós decidimos fazer algo especialmente com esse intuito”, afirma Daniel Iglesias, fotógrafo e um dos organizadores do “Queimão”.

A dinâmica do encontro segue a mesma dos anteriores. Foram inscritas fotografias de 20 nomes que não são revelados. Mas Iglesias adianta que há imagens de fotógrafos brasileiros de grande projeção atualmente. “Por isso batizamos esta edição como o ‘Leilão das Estrelas’. Há trabalhos de fotógrafos mais reconhecidos no mercado da arte, mas nunca revelamos os nomes. Nós conseguimos fechar um lista com 20 profissionais”, acrescenta Iglesias.

De acordo com o organizador, o lance mínimo para cada uma das fotografias é de R$ 5. Todas são projetadas numa parede à vista de todos que podem manifestar interesse. Aquelas que não forem adquiridas, por outro lado, vão às chamas.

“Esse é um momento que o público vibra muito. Em outras edições que fizemos, já notamos inclusive que há uma grande expectativa para que isso aconteça. Por outro lado, há quem não queira ver sua imagem queimada porque ninguém gostou dela. Aqui, nós esperamos que não sobre nada para o fogo”, diz o organizador, que se apresenta ao público vestido de Black Block.

“Há um tom bastante iconoclasta e provocador nisso tudo. Como no ‘Show de Likes’, em que projetamos ensaios fotográficos a serem avaliados pelas pessoas, a ideia é abrir espaço a fotógrafos iniciantes que figuram lado a lado com outros mais conhecidos. Qualquer um pode enviar criações que passam pelo crivo do público”.

Casos interessantes já aconteceram em razão dessa questão do anonimato. De acordo com Iglesias, enquanto uma foto de Claudio Edinger pode valer no mercado cerca de R$ 4.500, no evento de Paraty um de seus cliques foi arrematado por R$ 20, e queimado. “Tudo acontece de maneira muito espontânea e os resultados são inesperados”, relata.

Uma característica comum, para ele, é a mescla de crítica com humor. “Nós sempre propomos em fazer o leilão em espaços abertos justamente para reunir pessoas e frisar esse caráter agregador. Estamos ali pensando na ampliação da participação das pessoas e, no caso específico daqueles realizados em festivais, se questiona um pouco o mecanismo das curadorias, dos processos de inserção dos profissionais no mercado da arte. Tudo sempre com muito humor”, diz Iglesias.

O formato é inspirado em outra iniciativa semelhante criada pelo coletivo Piolho Nababo, mas, no caso deste, são vendidos trabalhos de artes plásticas pela bagatela inicial de R$ 1,99. “Uma diferença entre o nosso projeto e o deles é o ocultamente do nome dos autores. Ele só é revelado depois de a foto arrematada. Porém, o caráter performático é o mesmo”, observa o organizador.

Além do leilão, haverá uma programação que acontecerá durante todo o dia, a partir das 10h, na área em torno do Espaço Comum Luiz Estrela. Haverá desde feira de produtos artesanais e oficinas até shows, como o de Thales Silva, do grupo A Fase Rosa, às 15h.

Agenda

O quê. “Queimão Fotográfico”

Quando. Hoje, às 20h30

Onde. Em frente ao Espaço Comum Luiz Estrela (rua Manaus, 348, Santa Efigênia)

Saiba mais

A campanha a favor do Espaço Comum Luiz Estrela segue até o dia 18, e as doações podem ser feitas por meio do site Catarse (catarse.me).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave