Scheidt erra duas vezes e fica sem medalha na Espanha

Dez vezes campeão mundial queimou duas largadas em três regatas do dia e acabou 'salvo' por uma revisão da comissão de regatas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Robert Scheidt agora briga pelo quinto lugar, no máximo
Jesus Renedo/Sofia/Divulgação
Robert Scheidt agora briga pelo quinto lugar, no máximo

Até os melhores atletas do mundo estão sucessíveis a erros. E uma grande prova disso veio nesta sexta-feira. Até então líder da classe Laser no Troféu Princesa Sofia, principal etapa da Copa do Mundo de Vela e menos importante só que os Mundiais e a Olimpíada, Robert Scheidt queimou duas largadas em três regatas do dia e acabou 'salvo' por uma revisão da comissão de regatas. Assim, avançou à medal race em nono, sem chance de ir ao pódio em Palma de Maiorca (Espanha).

Dez vezes campeão mundial da Laser, Scheidt costuma primar pela regularidade. Nesta sexta, porém, fez o que na vela é chamado de "largar escapado", cruzando a linha de largada antes do sinal. Desclassificado na primeira regata do dia, teve o resultado descartado. Na segunda regata, voltou a largar escapado, mas a decisão foi revista e ele terminou no 39.º lugar. Para terminar o dia, fechou a última regata em 13.º

Com 107 pontos perdidos, Scheidt não consegue alcançar o terceiro colocado Tom Burton, da Austrália, mesmo com a pontuação dobrada na medal race de sábado. No máximo briga pelo quinto lugar.

"Infelizmente foi um dia ruim para mim aqui em Palma de Maiorca. Fui agressivo demais nas largadas e escapei nas duas primeiras regatas de hoje (sexta). Depois de um protesto consegui validar minha posição na segunda prova, devido a um erro cometido pela comissão de regata. É difícil sofrer esta reviravolta após liderar quase todo o campeonato, mas são coisas que podem acontecer e espero ficar mais forte com estes erros", comentou ele. Também na Laser, Bruno Fontes foi eliminado na 17.ª colocação, enquanto Matheus Dellagnelo terminou no 37.º lugar.

OUTRAS CLASSES - No total, o Brasil colocou cinco barcos nas medal races em Palma de Maiorca. Na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze ganharam três regatas, foram segundas colocadas em outras cinco e garantiram medalha. A disputa pelo ouro é contra o barco dinamarquês. As brasileiras podem chegar duas posições atrás na regada de sábado.

Outro barco feminino que vai bem é de Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan. Regulares, elas chegam à medal race em quarto, apenas quatro pontos atrás do barco britânico terceiro colocado. Renata Decnop e Isabel Swan, em 10.º, também avançaram à regata da medalha.

Líder do ranking mundial na RS:X, Bimba avançou à medal race como nono colocado, com 79 pontos, sem chances de ficar com medalha. Gabriel Bastos ficou em 62.º. Entre as mulheres, Patrícia Freitas acabou em 26.º.

Na Finn, Jorge Zarif, atual campeão mundial, teve uma competição para esquecer. Nas melhores regatas fez um segundo, um quinto e um oitavo lugares e terminou apenas na 19.ª colocação. Bruno Prada foi o 58.º.

Na 470 Masculina, o melhor barco brasileiro foi de Henrique Haddad e Bruno Bethlem, em 40.º lugar. Na 49er, Dante Biachi e Thomas Low-Beer acabaram em 46.º. A Laser Radial teve Maria Cristina Boabaid, que não recebe apoio da CBVela, como melhor do País, em 31.º, três posições à frente de Renata Decnop. Já na Nacra 17, nova classe olímpica, o barco de Samuel Albrecht e Georgia Rodrigues foi 44.º.

Leia tudo sobre: vela