Tratamento da água da Lagoa da Pampulha só deve começar no 2º semestre

O edital que licitará a empresa responsável pela adequação do espelho d’água só poderá ser publicado após a conclusão, pela Copasa, da retirada de 95% do esgoto despejado no local, previsto para 30 de junho deste ano

iG Minas Gerais | Pedro Vaz Perez |

Operários tentam retirar manualmente os aguapés na Pampulha
LEO FONTES / O TEMPO
Operários tentam retirar manualmente os aguapés na Pampulha

Com quase um ano de atraso, o início do tratamento das águas da Lagoa da Pampulha, na capital, deverá começar apenas no segundo semestre. O edital que licitará a empresa responsável pela adequação do espelho d’água só poderá ser publicado após a conclusão, pela Copasa, da retirada de 95% do esgoto despejado no local, previsto para 30 de junho, segundo a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap). A meta inicial venceu em julho de 2013. As informações foram apresentadas nesta sexta-feira (4) em audiência na Câmara Municipal. 

Segundo o engenheiro da Sudecap Renato Pires, o edital está pronto, mas seu trâmite, paralisado, aguarda a conclusão da companhia. “Começar a nova etapa com a água suja seria desperdício de dinheiro público”, avalia Pires. A expectativa da Sudecap é que após dez meses do início do tratamento, a qualidade da lagoa atinja o nível 3, que permite a prática de esportes náuticos. “A água está tão suja que nem é possível classificá-la”, afirma o gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Weber Coutinho. 

Garantia

O presidente da Associação dos Amigos da Pampulha (Apam), Flávio Ribeiro Campos, vê riscos de que, no futuro, não haja manutenção da qualidade da água na lagoa. “Estamos no limiar de repetir os erros do passado, sem nenhuma garantia”, avalia.  Para Coutinho, as garantias existem. “Serão feitas dragagens anuais e fiscalização e multa de despejos clandestinos”, afirma. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave