Brasil Kirin e Sesi fazem segundo confronto da semifinal neste sábado

Paulistanos venceram o primeiro jogo e tem a vantagem, mas donos da casa apostam na torcida para forçar terceiro encontro

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

No primeiro encontro, Brasil Kirin fez pressão no Sesi, mas saiu derrotado
Vôlei Brasil Kirin/Divulgação
No primeiro encontro, Brasil Kirin fez pressão no Sesi, mas saiu derrotado

O adversário que irá enfrentar o Sada Cruzeiro na final da Superliga pode ser decidido neste sábado. Às 930, o Vôlei Brasil Kirin-SP recebe o Sesi-SP, em Campinas, com transmissão ao vivo da TV Globo. Uma vitória classifica o Sesi para a decisão, já que a equipe venceu o primeiro duelo. Em caso de trunfo dos campineiros, um novo duelo acontece na terça-feira para decidir.

Estreante em semifinais de Superliga, o técnico Alexandre Rivetti, do time da casa, admite que o grupo precisa controlar os ânimos para conseguir forçar o terceiro jogo, e espera que a casa cheia, elemento presente em toda a campanha desta temporada, faça  diferença na partida.

“Temos que controlar a nossa ansiedade e apresentar o que estamos fazendo nos treinamentos. Tenho certeza que o Taquaral estará lotado e a nossa torcida será o sétimo jogador. Jogamos muito bem nessa temporada dentro de casa e acredito que vamos fazer uma grande partida”, afirmou o treinador.

Depois de um bastante jogo bastante equilibrado, os atletas do Sesi comemoram os dez dias de folga para aprimorar detalhes. “Foi bom por que tivemos mais tempo para estudar, nos mínimos detalhes, uma só equipe. Isso é fundamental nesse momento”, disse o levantador Sandro.

Aposentadoria. O central André Heller, do Brasil Kirin-SP, anunciou que esta semifinal da Superliga representa o fim de sua carreira. “É uma sensação difícil de administrar, mas a minha decisão está superconsciente, em função também de uma lesão”, afirmou o atleta. André é campeão olímpico, mundial, e tem seis títulos da Liga Mundial em seu currículo. “Já vou fazer 39 anos, chegou o meu momento”, explicou.