Quadrilha que vendia válvulas de botijão de gás por R$200 é presa

Seis homens foram presos e um menor apreendido; a suspeita é de que o bando atue em várias cidades do Estado

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Dinheiro e notas usadas pelos suspeitos também foram apreendidos pela PM
POLÍCIA MILITAR / DIVULGAÇÃO
Dinheiro e notas usadas pelos suspeitos também foram apreendidos pela PM

Uma quadrilha de estelionatários, que pode já ter feito um incontável número de vítimas pelo Estado, foi presa na última quinta-feira (4) em Nova Era, na região Central de Minas Gerais. Os membros do bando, oito homens e um adolescente, se passavam por fiscais e pediam para conferir as válvulas reguladoras de gás. Após a "vistoria", eles alegavam que o objeto precisava ser trocado e ofereciam um novo por R$ 210. O preço médio da válvula em um supermercado é de R$ 50.

De acordo com a Polícia Militar (PM) do município, várias vítimas começaram a acionar a corporação contando a mesma história. Os suspeitos batiam de casa em casa afirmando que precisavam conferir as válvulas reguladoras dos botijões de gás e, após terem a entrada franqueada, afirmavam que o material estava em péssimo estado.

A partir daí, após apresentarem o valor exorbitante de R$210, normalmente os clientes se recusavam e, então, tinha início uma intensa argumentação para convencê-los. Com uma enorme gama de argumentos, os suspeitos chegavam a afirmar que o INMETRO alterou as normas do produto e que o prazo para a troca estava acabando.

Ainda segundo a PM, os "vendedores" ofereciam até mesmo a possibilidade de parcelamento em três pagamentos, subindo o valor para R$ 237. Na cidade, uma vítima pagou o valor à vista e outra chegou a pagar a primeira parcela. Ainda segundo a PM, em um supermercado local o mesmo produto é encontrado por R$ 47.

Após o contato com as vítimas, os policiais começaram a procurar a Kombi branca em que o bando estava, localizando-os pouco tempo depois. No veículo estavam oito adultos e um adolescente, que foram detidos. Por causa do grande número de pessoas, foi necessário um auxílio de um ônibus da prefeitura para encaminhá-los à delegacia.

Ainda conforme a PM, todos eles alegaram trabalhar para um empresário chamado Marcelo e que a sede da empresa fica em Contagem. Durante o depoimento, os suspeitos chegaram a debochar da prisão, afirmando que já haviam sido detidos anteriormente e acabaram liberados. Foram apreendidas várias válvulas de gás, manômetros e mangueiras, além de notas fiscais e R$ 224 em dinheiro.

Em Contagem

Há cerca de 15 dias, uma senhora de 80 anos foi vítima do mesmo golpe em Contagem, na região metropolitana da capital. Conforme o filho dela, Gabriel Arcanjo, de 54 anos, a mãe é moradora do bairro Bandeirantes. “Eles chegaram falando que eram da fiscalização municipal. Ela deixou entrar e, após falarem que a válvula estava velha, venderam uma por R$160. Quando cheguei em casa falei com ela que custa apenas R$ 50 e comecei a correr atrás”, denuncia o homem.

Ainda segundo Arcanjo, sua mãe disse que não tinha o dinheiro e eles começaram a argumentar, chegando a dizer que ela era aposentada e que com certeza teria dinheiro. “Quando liguei para os telefones da nota, que é no nome da empresa JNC Limitada, pedindo o dinheiro de volta, eles riam, falavam que comprou está comprado”, lembra.

Após isso, o filho da vítima foi até o endereço indicado na nota, na rua Professor Paixão, no bairro das Indústrias, constatando que a empresa era fantasma. “Tem que alertar, pois devem estar fazendo muitas vítimas, abordam principalmente pessoas mais idosas. O problema é que entram na casa da pessoa, poderiam fazer até algo pior”, alerta.

Ainda conforme a PM, existe a possibilidade do caso de Nova Era e Contagem serem a mesma quadrilha, já que a sede do bando detido também fica em Contagem. Apesar disso, existe a possibilidade de ser uma única quadrilha grande, uma vez que os detidos em Nova Era vivem em uma casa alugada pelo patrão em Ipatinga. 

Leia tudo sobre: QUADRILHABOTIJÃO DE GÁSVÁLVULAGOLPEESTELIONATÁRIOS