Auditorias já comprometiam Pedrosas

O estreito relacionamento entre os secretários e Ciro Pedrosa teria então influenciado na demissão dos ex-aliados

iG Minas Gerais | Da Redação |

O estreito relacionamento entre os secretários e Ciro Pedrosa teria então influenciado na demissão dos ex-aliados. Isso porque auditorias coordenadas por Robspierre Miconi, colocado no cargo de controlador-geral por Waldir Teixeira, teria chegado até empresas como Planex, Engesolo e em contratos de limpeza urbana.

Com relação aos contratos da secretaria de Saúde e de Educação é o próprio Carlaile quem fica atento, especialmente em alguns serviços como a merenda escolar e os convênios com o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paraopeba (Cismep). Já a Fundação Artístico-Cultural de Betim (Funarbe) passou a ser controlada por um outro Pedrosa. Carlaile Antônio, filho do prefeito, é quem estaria definido os rumos da pasta. Para Waldir Teixeira, a sua saída da Infância garante a dominação de Betim por um única família. “Tudo está dominado pelo clã dos Pedrosas. São os quatro irmãos que passaram a interferir em todas as áreas da prefeitura. E nada funciona. As alianças políticas foram enterradas, e a gestão está estática. Quando assumi como prefeito em exercício pensei que poderíamos recuperar o município e devolver a Carlaile uma prefeitura saneada. Esbarramos em interesses escusos”, lamentou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave