Amigos e parentes lamentam acidente que deixou 2 mortos

Grupo de cinco jovens voltava de uma festa, no Bandeirinhas, quando o motorista perdeu o controle ao passar em um quebra-molas; segundo a PM, jovens não tinham habilitação

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Avós de Matheus Marcos de Oliveira (à direita na fotografia), morto no acidente, mostram retrato do neto ao lado dos três irmãos
Nelson Batista
Avós de Matheus Marcos de Oliveira (à direita na fotografia), morto no acidente, mostram retrato do neto ao lado dos três irmãos

 

A última semana foi de dor e comoção para familiares e amigos das vítimas do acidente ocorrido na madrugada de domingo (30), no bairro Cidade Verde, que deixou dois jovens mortos e três feridos.    Mônica Stefany Rodrigues Chagas, 20, e Matheus Marcos de Oliveira, 21, morreram tragicamente depois que o veículo onde eles estavam, um Punto, capotou. Segundo a Polícia Militar, o grupo voltava de uma festa no Bandeirinhas quando o motorista perdeu o controle da direção ao passar por um quebra-molas. Quatro ocupantes foram arremessados para fora do veículo.   Ainda segundo militares, Oliveira morreu na hora. Já Mônica chegou a ser socorrida por uma equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas teve uma parada cardiorrespiratória e faleceu.   O Corpo de Bombeiros também ajudou no resgate. Gabriela Sales, 18, Lucas Costa, 20, e Pedro Henrique Marques, 21, que ficou preso dentro do carro, ficaram feridos. Com o impacto, duas árvores foram arrancadas. “Cheguei ao local do acidente minutos depois que o carro havia capotado. Quatro deles estavam fora do veículo. Apenas um estava preso às ferragens. Fiquei em estado de choque”, contou o estudante Mateus Costa, amigo das vítimas. Ele também havia ido à mesma festa e estava em um outro veículo indo embora para casa.    Amigo de Oliveira há cerca de cinco anos, Mateus Costa contou que a última vez em que conversou com ele, por telefone, foi no sábado (29) de manhã. “Ele me ligou falando para eu ir à loja dar um abraço nele, pois havia sido promovido a gerente. No sábado, ele estava muito feliz”, disse.   O avô do jovem, Geraldo Maria de Oliveira, contou que soube do acidente através de seu filho, pai de Oliveira. “Em um primeiro momento, achamos que era brincadeira. Mas aí meu filho caiu no chão, sem forças, muito abalado”, disse.    Ele também contou que a família está desolada. “Parece que dormimos e tivemos um pesadelo”.  Amiga de infância de Mônica, a estudante Marina Mendes Castro, que conversou com ela pela última vez na sexta (28), também parecia ainda não acreditar na tragédia. “É muito difícil aceitar. A Mônica era sinônimo de alegria. Gostava de curtir a vida, tirar fotos e estar entre os amigos”.    O enterro das vítimas, na segunda-feira (31), no Cemitério Parque da Cachoeira, foi marcado por forte comoção. Na terça (1°), amigos de Oliveira e Mônica foram até o local do acidente para prestar uma homenagem aos dois. Eles deixaram rosas e até uma camisa do Cruzeiro para o garoto, que era considerado um “torcedor fanático”.   Investigação Até quinta-feira (3), a polícia ainda não havia confirmado quem conduzia o veículo, que é de propriedade da mãe de Marques. Segundo o delegado Roberto Veran, do 2° Distrito Policial, um inquérito policial será aberto para apurar as responsabilidades do acidente. A PM informou que nenhum dos cinco jovens tinha carteira de habilitação.   Já a assessoria da prefeitura afirmou que Lucas Costa passou por avaliação e recebeu alta no domingo (30). O paciente Marques está estável. A família de Gabriela, que estava no Hospital Unimed até a segunda-feira (31), não autorizou informações sobre o seu estado de saúde.   A missa de sétimo dia das vítimas será neste sábado (5), às 19h, na igreja Nossa Senhora do Carmo, no centro.

 

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave