Em meio fase de mudanças, La U mantém 55,5% de aproveitamento em casa

Na atual campanha do Campeonato Chileno, adversária do Cruzeiro patina dentro de casa e convive com mudanças nos comandos

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

Chilenos tiveram dificuldades e ficaram atrás no placar por duas vezes
Site oficial/Divulgação
Chilenos tiveram dificuldades e ficaram atrás no placar por duas vezes
A Universidad de Chile pode eliminar o Cruzeiro da Libertadores na noite desta quinta-feira, em Santiago, se não perder para a Raposa. Mas a equipe celeste pode se agarrar em um retrospecto nada impressionante dos chilenos em seus domínios. São apenas 55,5% de aproveitamento em casa para os 'Azuis Azuis'. Na atual campanha do Torneio Clausura, La U é apenas a sexta colocada e nem está na zona de classificação para a Libertadores. Os comandados de Gustavo Lorenzetti (dentro da quatro linhas) venceram três jogos em casa, mas perderam duas vezes e empataram outro jogo. são 10 pontos somados em 18 possíveis, um desempenho que não assusta nenhuma equipe, ainda mais se ela for a atual campeã brasileira. "Cada jogo é uma história, temos que reescrever de novo, fizemos um placar bacana (5 a 1 no Mineirão) mas  não somamos tantos pontos assim. Sabemos que papel não ganha jogo, e faz tempo", disse o atacante Dagoberto. La U, inclusive, mantém o retrospecto em casa do Torneio Apertura 2013, quando ficou na quarta colocação atrás de O'Higgins, Católica e Unión Española. O time chileno venceu quatro vezes em casa, perdeu duas e empatou três jogos. Foram 15 pontos somados em 27 possíveis e, outra vez, pouco mais de 50% de desempenho. Mudanças. La U vive uma fase de transição dentro do futebol e na direção do clube. O técnico Crístian Romero não vai ficar ao final da temporada, que acaba depois da Copa do Mundo. A direção do clube cogita três nomes para substituir o treinador. O mais cotado era Ricardo Gareca, que ficou cinco temporadas no Vélez Sarsfield. 'El Tigre' foi campeão nacional pelo Fortín em 2009, 2011 e 2012 (Clausura, Clausura e Apertura), além de ganhar o supercampeonato diante do Newell's, em 2013. Porém o nome do treinador argentino pode ser eliminado, por conta de uma alta pedida de 1,1 milhão de dólares para sua comissão técnica. Os outros dois nomes são: Eduardo Berizzo, também argentino, que conhece bem o futebol chileno e venceu o Apertura 2013 do país pelo O'Higgins, além de Matías Almeyda, o que corre por fora nesta 'disputa' e que está no comando do Banfield-ARG.

Leia tudo sobre: cruzeirolibertadoresla uuniversidad de chile