MP ameaça interditar setor do Itaquerão durante a Copa do Mundo

MP convocou Corinthians e Odebrecht para reunião de emergência e não descarta interditar os 20 mil lugares provisórios do estádio

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Documentos apontam irregularidades de segurança na construção do Itaquerão
Reprodução/Facebook
Documentos apontam irregularidades de segurança na construção do Itaquerão

O Ministério Público convocou Corinthians e Odebrecht para uma reunião de emergência e não descarta interditar os 20 mil lugares provisórios do Itaquerão durante a Copa do Mundo. Em nota divulgada em seu site, o órgão público de São Paulo mostra-se bastante preocupado com os laudos do Corpo de Bombeiros.

Os documentos apontam irregularidades de segurança na construção do Itaquerão, credenciado para fazer a abertura da Copa do Mundo no dia 12 junho, com a partida entre as seleções do Brasil e da Croácia. Na semana passada, um operário morreu nas obras do estádio após cair de uma altura de 8 metros.

"A Promotoria, em caso de descumprimento ou cumprimento parcial dessas exigências (de segurança), não descarta a adoção de medidas visando à interdição parcial da arena Corinthians, mesmo durante a realização da Copa do Mundo de 2014. Nessa hipótese, eventuais prejuízos causados aos adquirentes de ingressos, que poderão ser privados do direito de assistir aos respectivos jogos, deverão ser objeto de ações judiciais em face dos organizadores do evento e dos responsáveis pela construção da arena", diz a nota assinada por José Carlos de Freitas, promotor de justiça da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da capital.

O relatório emitido pelos Bombeiros aponta 26 irregularidades no estádio. No último dia 29 de março, Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, morreu ao cair de uma altura de oito metros. O operário prestava serviço para a WDS Engenharia, contratada pela empresa Fast, responsável pela montagem das arquibancadas provisórias do estádio.

Outras Vítimas

As obras da Arena Corinthians começaram em maio de 2011 e já registraram outras duas mortes. No dia 27 de novembro, dois operários faleceram após a queda de um guindaste que içava o último módulo da estrutura da cobertura metálica do estádio. O guindaste atingiu parcialmente a fachada em LED.

Leia tudo sobre: futebolesporteitaqueraoestadiompministerio publicointerdicaoameacaCopa do Mundo