Associação Uruguaia de Futebol elege novo presidente

Wilmar Valdez substituirá Sebastian Bauza no comando da AUF, que está em crise institucional, tendo recebido até punição da Conmebol

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Conselho executivo da AUF posa com Wilmar Valdez (ao centro), o novo presidente
DIVULGAÇÃO/AUF
Conselho executivo da AUF posa com Wilmar Valdez (ao centro), o novo presidente

Três dias depois de cinco integrantes do Conselho Executivo da Associação Uruguaia de Futebol (AUF) renunciarem aos seus cargos como reflexo de uma crise institucional que também envolve o governo nacional e o sindicato dos jogadores, a entidade elegeu oficialmente, no final da noite da última quarta-feira, o seu novo presidente. Trata-se de Wilmar Valdez, que substituirá Sebastian Bauza e foi oficializado apenas nesta quinta na função. Valdez assume o cargo depois que o principal candidato à presidência, Oscar Curuchet, abandonou essa disputa na última hora em meio ao conflito entre o governo e os clubes uruguaios. A crise entre as diferentes esferas do País começou na noite da última quinta, quando o presidente do Uruguai, José Mujica, ordenou, em um movimento surpresa, que a polícia não fornecesse serviços de segurança nos jogos disputados nos estádios Centenário e Parque Central, onde costumam atuar como mandantes os dois mais populares e importantes clubes do Uruguai, o Peñarol e o Nacional. Além de Valdez, o novo Conselho Executivo elegeu outros quatro membros para os cargos que ficaram vagos após a renúncia coletiva anunciada no último domingo. Jorge Barrera se tornou o novo vice-presidente da AUF, Alejandro Balbi foi confirmado como secretário-geral, Roberto Pastoriza como secretário de seleções nacionais e Ignacio Alonso como secretário de assuntos econômicos e financeiros. Na última quarta-feira, um dia antes da polêmica decisão de José Mujica, a torcida do Nacional havia protagonizado um violento confronto com a polícia, após a partida contra o Newell's Old Boys, da Argentina, pela Copa Libertadores. Cerca de 40 policiais ficaram com ferimentos leves no conflito. Após o ocorrido, a AUF e os clubes resolveram seguir em atividade, confiando a segurança aos próprios times envolvidos, mas horas antes do começo da partida de domingo entre Peñarol e Miramar Missiones, no Centenário, o sindicato dos jogadores profissionais anunciou que seus afilidados não jogariam se não tivessem segurança policial.  AUF É SUSPENSA - Em crise, a AUF também confirmou que recebeu da Conmebol uma suspensão provisória de vários de seus principais direitos, embora a medida não coloque em risco a participação do Uruguai na Copa do Mundo de 2014. Entre os direitos em questão a entidade está impedida de participar e votar em congressos do organismo que controla o futebol sul-americano, e de propor candidatos a diretores e a órgãos disciplinares. Essa suspensão foi anunciada no mesmo comunicado no qual Valdez foi confirmado como novo presidente da AUF, cuja gestão de Sebastian Bauza teve sucesso esportivo inegável com a conquista da Copa América em 2011 e o quarto lugar na Copa do Mundo da África do Sul em 2010 pela seleção nacional.

Leia tudo sobre: uruguaieleicoespresidenteauffutebol