Comissão dá aval a mudança

iG Minas Gerais |

Brasília. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou ontem, em primeiro turno, projeto que veda a doação de empresas ou pessoas jurídicas para campanhas eleitorais.

A comissão vota a matéria em segundo turno na próxima quarta-feira. Se for aprovada, segue diretamente para análise da Câmara porque tramita em caráter terminativo, sem a necessidade de passar pelo plenário do Senado.

Relator do projeto, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) modificou o texto inicial de autoria da senadora Vanessa Graziottin (PCdoB-AM) para vedar integralmente as doações de pessoas jurídicas. Na versão original, a vedação ocorreria apenas em algumas circunstâncias, mas a maioria dos integrantes da CCJ apoiou a mudança.

O PT é favorável à mudança, que tem resistência da oposição. Líder do governo no Congresso, o senador José Pimentel (PE-CE) disse que o atual modelo favorece um descontrole da administração dos recursos doados pelos empresários.

Já o líder do PSDB, o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), disse que o financiamento privado das campanhas não tem a corrupção em seu “DNA”, por isso não pode ser descartado apenas com mudanças na legislação.

“Eu pedi”

Afirmativa. “Quem aqui pode dizer que nunca pediu recursos para pessoas jurídicas financiarem suas campanhas? Eu pedi”, disse Aloysio Ferreira, negando elo com as empresas doadoras.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave