Barcelona recorre de pena e defende formação de atletas

Fifa impôs punição aos Blaugranas por irregularidades em transações e inscrições de jogadores menores de 18 anos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Barça recorreu da pena imposta pela Fifa
REPRODUÇÃO/BARCELONA
Barça recorreu da pena imposta pela Fifa

O Barcelona se defendeu nesta quarta-feira da punição imposta pela Fifa por irregularidades em transações e inscrições de jogadores menores de 18 anos e avisou que vai entrar com um recurso contra a proibição de realizar contratações por um ano, defendendo a política adotada nas divisões de base do clube.

Em um longo comunicado publicado no seu site oficial, o Barcelona avisa que "vai apresentar sua apelação à Fifa" e que se necessário também entrará com um recurso na Corte Arbitral do Esporte contra a punição. Em seguida, enumera 14 tópicos para se defender da acusação de ter violado as regras da Fifa de proteção a menores em dez contratações.

Assim, o clube exaltou o seu modelo de formação de jogadores para se defender da punição imposta pela Fifa. "O modelo de La Masía incorpora programas de formação educativa, moradia, manutenção, assistência médica, atenção às necessidades dos menores e planos de desenvolvimento esportivo. O Barcelona forma pessoas antes que esportistas, questão que não foi considerada pela Fifa, que aplica um critério de punição ignorando a função educativa do nosso programa de formação", afirma o time espanhol.

O Barcelona destacou que até a Fifa fez elogios ao processo de formação de jogadores do clube e repetidamente premia atletas que deram seus primeiros passos no futebol no time. "O modelo de formação do Barcelona sempre recebeu o reconhecimento expresso da Fifa, e La Masia sempre foi utilizada como exemplo de boas práticas", diz o clube, citando até mesmo os craques formados na base do clube. "Nossos candidatos à Bola de Ouro são um reconhecimento da Fifa aos nossos procedimentos de formação esportiva", completa.

O clube espanhol também garante que nenhum jogador seu está em situação irregular. "O Barcelona não violou nenhuma legislação civil e todo os menores que desfrutam do centro de formação são residentes legais no país", afirma. "Nenhum jogador do Barcelona está em situação irregular", reitera o Barcelona.

Com a punição imposta pela Fifa, o clube catalão está proibido de realizar contratações nas duas próximas janelas de transferências, além de ter sido multado em 450 mil francos suíços (aproximadamente R$ 1,15 milhão).

Agora, porém, o Barcelona se defendeu citando o êxito do trabalho desenvolvido nas suas categorias de base, que recentemente revelou alguns dos principais nomes do futebol mundial na atualidade, como Messi, Iniesta e Xavi, para garantir que age de forma legal e é uma das referências mundiais em formação de jogadores, fornecendo educação e a estrutura necessária para o crescimento dos jovens atletas.

Leia tudo sobre: futebolesportebarcelonajogadorespunicaofifa