Grupo é preso suspeitos de fabricar e vender drogas sintéticas

Com os cinco suspeitos foram apreendidos mais de 5.000 comprimentos supostamente de drogas sintéticas, com porções de haxixe e lança perfume

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

Polícia Federal desmantela laboratório de drogas sintéticas
Assessoria de Imprensa / Polícia Federal
Polícia Federal desmantela laboratório de drogas sintéticas

Cinco jovens foram presos nesta terça-feira (01) após a Polícia Federal, junto com a Polícia Militar desmantelar um laboratório de drogas sintéticas na Serra do Cipó, na região metropolitana da capital. Com os suspeitos foram apreendidos mais de 5.000 comprimentos supostamente de drogas sintéticas, com porções de haxixe e lança perfume.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal, dois dos cinco suspeitos compraram uma máquina compressora para fabricar comprimidos. Os outros três jovens davam apoio na fabricação dos comprimidos em troca de dinheiros e drogas.

Os jovens tinham alugado um imóvel no bairro São João Batista, na região de Venda Nova em Belo Horizonte, porém como a fabricação da droga fazia muito barulho e poeira eles alugaram um sítio na região de Cardeal Mota, onde as polícias descobriram o esquema.

No laboratório, as policias encontraram máscaras de proteção, máquina compressora, embalagens plásticas, matéria-prima e balanças de precisão. Os criminosos disseram à polícia que aprenderam todo o processo de fazer a droga pela internet.

Além de atuar em Minas Gerais, a dupla é suspeita de remeter os comprimidos para outras cidades do Brasil, que não foram informadas pela polícia. Eles lucravam cerca de R$ 40.000 por mês.

Os jovens foram presos e autuados em flagrante por fabricação e tráfico de drogas, posse de maquinário e associação com o tráfico de drogas. Se forem condenados eles podem pegar até 35 anos de prisão. Os presos foram levados para a Penitenciária Nelson Hungria em Contagem, na região metropolitana.

A reportagem de O Tempo não conseguiu contato com a assessoria de imprensa da Polícia Federal para obter mais informações. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave