PSG e Chelsea prometem jogo de arrepiar em confronto milionário

"Novos ricos" do futebol europeu duelam pelas quartas de final da Uefa Champions League

iG Minas Gerais | GABRIEL PAZINI* |

Ibra e Hazard são as grandes estrelas de PSG e Chelsea
Reprodução/Facebook
Ibra e Hazard são as grandes estrelas de PSG e Chelsea

Um jogo de arrepiar. Essa é a promessa para o duelo entre Paris Saint-Germain e Chelsea, nesta quarta-feira, no Parque dos Príncipes, na capital francesa. Os "novos ricos" do futebol europeu farão o clássico milionário, que tem tudo para ser muito equilibrado.

Os dois times se equivalem. No gol, Cech e Sirigu são excelentes, e as duas defesas são sólidas. A dupla de zaga do PSG é brasileira, formada pelo melhor zagueiro do planeta, Thiago Silva, e o experiente Alex ou o jovem Marquinhos, excelente defensor, que pode jogar a Copa do Mundo pelo Brasil. As laterais com Gregory van der Wiel e Maxwell também estão bem servidas. Pelo lado do Chelsea, Ivanovic e Azpilicueta tem feito boa temporada pelos flancos defensivos, enquanto John Terry e Gary Cahill formam uma zaga segura.

No meio-campo, o equilíbrio também é perceptível. A equipe parisiense atua com três volantes que são o que os ingleses chamam de "box-to-box midfielder", os meio-campistas que atuam de uma intermediária à outra: participando do jogo defensivo, protegendo a defesa, armando jogadas, e também aparecendo no ataque. Thiago Motta, Blase Matuidi e Marco Verratti formam um excelente trio, que se completa. Os destaques são Matuidi, titular da seleção francesa, e Verratti, jogador jovem e muito talentoso, que vai evoluir ainda mais e é tratado como o "Novo Pirlo".

Do lado dos Blues de Londres, existem várias opções para formar a dupla de volantes, e todas são excelentes. Ramires quase sempre é titular e dispensa apresentações. Seu companheiro fica entre Lampard, Mikel, Matic e David Luiz, que já atuou na função em várias oportunidades. Lampard e Matic são mais técnicos, e, junto com Ramires, ajudam no jogo ofensivo e na criação de jogadas, enquanto Mikel faz o papel de cão de guarda da defesa. David Luiz, por sua vez, protege a defesa, mas também se arrisca no apoio ao ataque.

Na frente da dupla de volantes está a grande força e diferencial do time: o trio de meias ofensivos. O trio titular, na maioria das partidas, é formado por Hazard, Oscar e Willian. Os três vivem excelente temporada, principalmente Hazard, belga que é o nome do Chelsea. No entanto, também existe a opção de Schürrle começar na vaga de um dos dois brasileiros.

De qualquer forma, apesar de o Chelsea ter mais possibilidades e variações, e jogar com cinco homens no meio-campo, os setores se equivalem. A qualidade técnica é semelhante e, pelo lado do PSG, os homens mais adiantados pelos lados do campo (Cavani e Lavezzi) que atuam próximos de Ibrahimovic, voltam para compor a meia-cancha.

O ataque, porém, é o que destoa na comparação entre os adversários. Enquanto o PSG tem Cavani, Lavezzi e Ibrahimovic, que dispensam apresentações, o Chelsea tem Fernando Torres - Eto'o está lesionado e não joga.

O trio de meias ofensivos do Chelsea e as investidas de seus volantes compensam a falta de um centroavante matador, no entanto, é inegável que Ibrahimovic faz toda a diferença e a equipe francesa tem mais poder de fogo. Esse fator aliado a atuar em casa, faz o PSG ter um mínimo favoritismo para a partida desta quarta-feira, porém, pela qualidade técnica, meio-campo excelente e jogadores capazes de desequilibrar, o Chelsea tem todas as condições de vencer e o confronto é equilibrado.

Ficha Técnica:

PARIS SAINT-GERMAIN X CHELSEA

Motivo: Quartas de final da Uefa Champions League, jogo de ida

Local: Parc des Princes, Paris, França

Horário: 15h45 - de Brasília

Prováveis times:

PSG: Sirigu; van der Wiel, Alex, Thiago Silva e Maxwell; Thiago Motta, Matuidi e Verratti; Cavani, Ibrahimovic e Lavezzi. Técnico: Laurent Blanc

Chelsea: Cech; Ivanovic, Terry, Cahill e Azpilicueta; Ramires, David Luiz, Willian, Oscar e Hazard; Torres. Técnico: José Mourinho

Árbitro: Milorad Mazic (SRB) Auxiliares: Milovan Ristic e Dalibor Djurdjevic (ambos da Sérvia)

*com supervisão de Leandro Cabido