Estado ainda não tem uma decisão sobre a determinação do Supremo

Secretária de Estado de educação de Minas Gerais, Ana Lúcia Gazzola, pediu aos professores para manterem a calma

iG Minas Gerais | TÂMARA TEIXEIRA |

O Estado ainda não tem uma decisão sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que declarou inconstitucional a Lei 100. O encontro entre a secretária de Estado de educação de Minas Gerais, Ana Lúcia Gazzola, e a associação dos professores públicos do Estado, que ocorreu nesta quarta-feira (2), terminou sem novidades para o servidor preocupado com o caso. 

Durante o encontro, a secretária de educação colocou panos quentes na questão e esclarecido que não precisa haver correria entre os servidores. A secretária declarou ainda que a nova decisão não irá irá mudar "do dia para noite" a vida do trabalhador.

Nessa terça, foi publicada a ata da decisão do supremo, mas, será mantido o direito de pessoas que até o dia 1º de abril tinham a garantia de aposentadoria. A estimativa é de que 20 mil professores possam se aposentar e outros 16 mil já aposentados permaneçam com o benefício.

Ana Lúcia ainda afirmou que o governo não encontrou uma decisão sobre o caso, mas, que um concurso, ainda sem data definida, deverá ser realizado para decidir as vagas. A data será decidida a partir do momento que o Supremo publicar o acordo. Só a partir deste momento é que o Estado terá acesso as vagas que estarão disponíveis.

O concurso que esta vigente até novembro poderá ser prorrogado, já que ainda não se sabe se as vagas que irão surgir já estão contempladas neste concurso.

A secretaria está ligando para todas as regionais aconselhado aos diretores que procurem os professores que tinham o direito de se aposentar até o dia 1º de abril, para eles terem a real noção de quantos cargos ficarão vagos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave