Ribeiro se diz pronto, e Goulart avisa: 'Vamos com tudo'

Cruzeiro, mais do que nunca, vai precisar dos dois meias bem na partida para buscar a vitória contra a Universidad de Chile

iG Minas Gerais | GABRIELA PEDROSO e BRUNO TRINDADE |

Nike aumenta cota de patrocínio de Everton Ribeiro, tido como um dos melhores jogadores do Brasileirão deste ano
Washington Alves/VIPCOMM
Nike aumenta cota de patrocínio de Everton Ribeiro, tido como um dos melhores jogadores do Brasileirão deste ano

Correndo risco de eliminação na Copa Libertadores ainda na fase de grupos, o Cruzeiro sabe que o único resultado que interessa no confronto com a La U, nesta quinta-feira, é a vitória, e, se possível, por uma boa diferença de gols. Para isso, a Raposa precisará, mais do que nunca, de um sistema ofensivo criativo e atuante, e conta com os meias Ricardo Goulart e Everton Ribeiro para exercerem bem esse papel. Responsáveis pela armação, os dois jogadores não entraram em campo no último domingo, quando o Cruzeiro venceu o Boa Esporte por 2 a 1 e avançou à final do Campeonato Mineiro. Ambos foram poupados pelo técnico Marcelo Oliveira já com o pensamento no jogo decisivo contra o time chileno. Everton Ribeiro chegou a reclamar de dores em uma das pernas, mas afirma que agora está 100% para o duelo no Chile. "Não tem sacrifício. Fiquei parado porque estava com dores. A fisioterapia fez um trabalho forte, estou sem dores, e agora estou pronto para o jogo", garantiu o meia. Descansado para a partida, Ricardo Goulart também assegurou que a Raposa vai com tudo para o jogo fora de casa, determinada a trazer a vitória e manter o sonho da classificação. O meia, no entanto, lembrou da importância do time não "entrar no jogo" do adversário. "A pressão, a catimba, a gente sabe como os chilenos são. Temos que focar só na vitória. Aprendemos isso no último jogo dentro de casa, mas temos que focar só nos três pontos", advertiu o jogador. Ricardo Goulart espera uma marcação forte da Universidad de Chile, com muitas investidas no ataque, mas afirma que a vontade dos celestes é ainda maior que a do time da casa. O meia, artilheiro do Cruzeiro na competição, com três gols, aliás, espera dar fim ao jejum no torneio, no qual não balança as redes há dois jogos. "A bola não está entrando. Vocês me veem sempre balançando as redes. Mas acredito que, na hora certa, a bola vai entrar. Tem que orar mais, tirar 'olho gordo' (risos). É trabalhar mais que os gols vão sair", completou.